conecte-se conosco
Alexandre Gallo, novo técnico do Santa Cruz Alexandre Gallo, novo técnico do Santa Cruz

PESanta CruzÚltimas

Gallo admite que Santa não vai melhorar no curto prazo e dispara: ‘Não vou mentir’

Foto: Rafael Melo/Santa Cruz

Publicados

em

Após a derrota por 2 a 0 para o Sete Setembro, no Arruda, em mais uma atuação bem abaixo do Santa Cruz na temporada, o técnico Alexandre Gallo adotou um tom mais duro na coletiva de imprensa. Voltando a apontar o baixo nível físico e técnico da equipe como fatores determinantes para o mau desempenho do Tricolor, o treinador desabafou: disse que não vislumbrava uma melhora a curto prazo na equipe.

“Não vislumbro melhora em curto prazo. Não podemos mentir para a torcida, nem para ninguém. `Nós sabemos que é difícil ter uma melhora no curto prazo, tão rápida, se você não conseguir no mercado trazer jogadores em plena condição física para que o time tenha um upgrade. Sem isso, não vejo melhora rápida”, disparou.

Veja, na íntegra, outros pontos da coletiva

Clima no vestiário no final do 1T

“O clima é de uma cobrança dentro da normalidade, porque nós tentamos organizar a equipe para o segundo tempo, primeiro tempo já tinha passado e é evidente que o aspecto físico está abaixo, o time vem sofrendo muito com isso. Nós não temos tempo para treinar e o time não consegue se recuperar fisicamente. Sentimos que o time hoje, tínhamos que marcar, sermos agressivos, isso foi combinado. O time não está conseguindo suportar a condição física. E não é um ou outro jogador, é em sua grade maioria, e evidentemente tecnicamente cai muito. Então você tem que cobrar onde tem que ser cobrado, e não mais do que isso”.

Preocupação com o nível das atuações

“Já sabia desde o primeiro dia que cheguei aqui que o time que tinha problemas, e são problemas físicos e técnicos. O mercado não está totalmente disponível para gente, e é importante a imprensa e a diretoria saber. Já tentamos contactar vários jogadores, e alguns jogadores preferem esperar para resolver os nossos problemas, querem esperar ainda a possibilidade de jogar uma Série B. Estamos trabalhando muito com Oberdan e com Jaime, mas as coisas não estão acontecendo. Agora, a maior dificuldade é fisicamente a equipe muito fora de condição, e nós não temos tempo para treinar. Você tem que treinar, recuperar o atleta e treinar dentro do jogo. Mas é prazeroso tentar sair de uma situação dessa, e é o que eu estou tentando fazer”.

Falta de atitude do elenco

“Acho que é uma somatória, quando você está fisicamente bem ,você melhora no aspecto técnico, o astral melhora, a confiança vem .Eu fui atleta e sei disso. Mas para chegar nesse estágio, você precisa passar pelo primeiro e pelo segundo, nós estamos ainda no primeiro, que é tentar uma melhora física. Porque a pior coisa para um treinador de futebol é separar as substituições no futebol pelo aspecto físico e você não consegue reverter. Acabou tendo uma lesão com o Allan, e ficamos com um a menos ali pelo resto dos 10, 12 minutos, até tomar o segundo gol”.

Mudanças no primeiro tempo

“Fiz o correto. E novamente faria a mesma coisa. O zagueiro não estava bem, não estava confiante, botei o Derley e nosso time melhorou, foi mais agressivo com o Marcel, tivemos um final de primeiro tempo melhor e evidente que você jogando em casa e perdendo para o Sete de Setembro, eu tendo uma última substituição, eu tenho que colocar o time mais à frente possível”.

Trending