conecte-se conosco
Wellington Paulista decidiu na virada do Fortaleza em cima do CRB Wellington Paulista decidiu na virada do Fortaleza em cima do CRB

ALCECopa do BrasilCRBFortalezaÚltimas

Wellington Paulista comanda, Fortaleza vira e bate CRB na Copa do Brasil

Foto: Leonardo Moreira/Fortaleza EC

Publicados

em

Depois de um bom primeiro tempo fora de casa, inclusive abrindo o placar, o CRB não aguentou a pressão do Fortaleza na etapa final, que contou com o comando de Wellington Paulista para virar o jogo e vencer por 2 a 1 na Arena Castelão, em Fortaleza-CE, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. O centroavante entrou no segundo tempo e marcou duas vezes, de pênalti, para garantir a vitória do Leão. Nicolas Careca marcou para o Galo da Pajuçara.

Agora as equipes voltam a campo na próxima quarta-feira (4), às 16h30, no estádio Rei Pelé, em Maceió-AL, pelo jogo da volta das oitavas da Copa do Brasil. O Tricolor do Pici tem a vantagem do empate para conseguir o avanço de fase. Caso o CRB vença por um gol de diferença, não importando o placar, a disputa vai para as penalidades. Se vencer por dois ou mais gols de diferença, o Galo é quem avança para as quartas de final.

CRB fechado, mas abre o placar

O Fortaleza teve o primeiro tempo com mais posse de bola, rodando de um lado para o outro e entregando uma maior intensidade na metade inicial, mas acabou dosando um pouco no restante. Algo que fez o Leão ter mais dificuldades para abrir espaços na marcação do CRB. O Alvirrubro jogava com linhas baixas, bem compacto, mas com dificuldades para sair jogando e contra-atacar.

Aos dois minutos, o CRB teve sua primeira tentativa, logo após Boeck sair jogando errado. A bola ficou com Nicolas Careca, que arriscou, mas mandou para fora. O Fortaleza passou a ter maior domínio e foi incomodando, principalmente com David, pelo lado esquerdo. Aos 11, o atacante reclamou de pênalti após toque de Reginaldo, o árbitro conferiu no VAR, mas não validou a marcação e mandou o jogo seguir. Aos 15, Pikachu cruzou, David conseguiu resvalar na bola na segunda trave, mas Reginaldo foi ligeiro e desviou a bola para cima da meta, evitando o gol do Leão.

Com posse de bola no campo adversário, o Tricolor finalizou pouco, para os seus padrões. Não acertou um chute na meta de Diogo Silva e foi burocrático. Faltou acelerar mais algumas jogadas para abrir espaços. Arriscou chutes de fora da área que levaram relativo perigo, mas quem abriu o placar foi o CRB. Aos 40, Nicolas Careca foi lançado por Gum e recebeu nas costas de Titi. Ele dominou e bateu na saída de Boeck, balançando as redes. O assistente anulou o tento, mas o VAR foi acionado e confirmou o gol.

Pressão enorme do Fortaleza até a virada

Era necessário mudar a postura se quisesse buscar o resultado positivo em casa, e o técnico Vojvoda fez isso com o Tricolor no intervalo. O time voltou bastante diferente, com maior intensidade e finalizando mais ao gol do CRB. Isso mudou o panorama do jogo. Logo no primeiro minuto, Romarinho tentou da entrada da área, com chute forte no canto direito, e Diogo Silva fez grande defesa.

Aos seis, foi a vez de David tentar em batida rasteira, com espaço, mas mandou nas mãos do goleiro. No minuto seguinte, Nicolas Careca fez grande jogada pela esquerda e cruzou rasteiro para Diego Torres, dentro da área, isolar a bola. Aos nove, Lucas Crispim cobrou falta buscando o canto direito de Diogo Silva, mas o arqueiro foi bem novamente e espalmou. A pressão do Fortaleza seguia e se aproximava cada vez mais de empatar. Aos 18 minutos, Matheus Vargas chutou colocado de fora da área, com bastante efeito, raspou a trave direita do CRB. Faltou ao Alvirrubro encaixar passes rápidos para sair da pressão dos donos da casa e sair em contra-ataque. Sentiu bastante esse peso, já que Bressan vinha bem marcado e Diego Torres não esteve nos seus melhores dias.

Em mais uma das investidas do Tricolor, o empate e a virada saíram em cobranças de pênalti, algo bastante reclamado na primeira etapa. Aos 26, Wellington Paulista foi derrubado por Gum ao tentar girar para bater. O árbitro marcou e o WP9 bateu no ângulo direito de Diogo Silva, sem chances para o goleiro. Aos 30, Pikachu tentou finalizar da entrada da área e a bola acertou a mão de Wesley, que estava distante do corpo. O árbitro checou no VAR e confirmou a penalidade. Wellington Paulista foi novamente para a cobrança, aos 32, e mandou rasteiro no lado esquerdo do goleiro. Virada do Fortaleza.

O CRB mudou de postura e tentou se lançar ao ataque. Subiu suas linhas, tentou ser mais agressivo e jogou de maneira mais apressada. Do outro lado, com mais tranquilidade, o Fortaleza soube controlar melhor a partida. Apesar de ter menos posse de bola em relação ao restante do segundo tempo, não cedeu espaços para o Galo finalizar. Fim de jogo com um resultado importante para os cearenses, mas que ainda mantém a decisão em aberto para a disputa em Maceió-AL.

Ficha do jogo

Fortaleza (2)

Marcelo Boeck; Tinga, Jackson e Titi; Yago Pikachu, Éderson (Wellington Paulista), Felipe (Matheus Jussa), e Lucas Crispim; Romarinho (Matheus Vargas), David (Osvaldo) e Robson (Igor Torres). Técnico: Juan Pablo Vojvoda.

CRB (1)

Diogo Silva; Reginaldo, Gum, Caetano e Guilherme Romão; Marthã, Jean Patrick (Wesley) e Renan Bressan (Calyson); Diego Torres (Ewandro), Erik (Jajá) e Nicolas Careca (Alan James). Técnico: Allan Aal.

Local: Arena Castelão, em Fortaleza-CE.

Árbitro: Paulo Roberto Alves Júnior (PR).

Assistentes: Rafael Trombeta e Victor Hugo Imazu dos Santos (ambos PR).

Gols: Wellington Paulista, aos 26′ e 32′ do 2ºT (FOR); Nicolas Careca, aos 40′ do 1ºT (CRB).

Cartões amarelos: Jackson, Titi, Yago Pikachu e Igor Torres (FOR); Wesley (CRB).

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending