conecte-se conosco
karl, volante do Santa Cruz karl, volante do Santa Cruz

PESanta CruzÚltimas

Ação ajuizada por Karl pode custar mais de R$ 130 mil ao Santa Cruz; veja cobranças

Foto: Rafael Melo/Santa Cruz

Publicados

em

Demitido pelo Santa Cruz em julho, o volante Karl publicou nas suas redes sociais que, sem entrar em um acordo com o clube, acionaria o Tricolor na Justiça. E o valor da causa representa uma quantia indigesta, principalmente levando em consideração a realidade da Série D em 2022 batendo à porta e a escassez de receitas: pouco mais de R$ 130 mil.

Em números precisos, o Santa Cruz terá que pagar – a decisão ainda cabe recurso, vale ressaltar – R$ 137.846,89, valor referente à quitação de férias, FGTS correspondente a todo contrato do jogador (até novembro de 2021), acrescido de multa de 40%, 13º salário, além de dois meses de férias proporcionais.

O montante, inclusive, levando em consideração a planilha de cálculos na decisão proferida pela juíza Adriana Satou Lessa, indica um valor superior a R$ 150 mil ao todo – com acréscimos de juros e correção monetária -, mas que ainda pode ser impugnado pelo Santa Cruz. (Veja abaixo).

Contratado pelo clube em março, Karl recebia salário de R$ 20 mil + R$ 2 mil de auxílio moradia. Como se atesta na sentença de 1º grau acessada pelo NE45, o Santa Cruz honrou com ambos os compromissos até junho, quando o Juízo da 4ª Vara do Trabalho de Recife deferiu o pagamento proporcional a 17 dias dos vencimentos do jogador.

Procurado pela reportagem, Lucas Gouvea, diretor jurídico da Cobra Coral, afirmou que o departamento está costurando uma nova maneira de entrar em acordo com Karl para reajustar os valores pedidos na ação.

“Houve uma sentença de primeiro grau em favor de Karl em relação aos valores de rescisão e FGTS. Ainda cabe recurso, e estamos avaliando internamente uma solução que envolva um acordo com o atleta, que sempre demonstrou uma postura muito correta com o clube”, explicou.

No Santa Cruz, Karl viveu idas e vindas. O volante chegou a ser afastado pelo então técnico Alexandre Gallo, mas, com a chegada de Bolívar, foi reintegrado ao grupo. Com Roberto Fernandes, em nova troca no comando do time, a quarta no ano, o jogador também atuou pouco, em apenas três partidas. No recorte geral, disputou 16 jogos em pouco mais de quatro meses.

Trending