conecte-se conosco
Ceará e Náutico são acionados por coletivo LGBTQ+ no STJD por cânticos homofóbicos Ceará e Náutico são acionados por coletivo LGBTQ+ no STJD por cânticos homofóbicos

CECearáNáuticoPEÚltimas

Ceará e Náutico são acionados por coletivo LGBTQ+ no STJD por cânticos homofóbicos

Divulgação/Bahia

Publicados

em

O Coletivo de Torcidas Canarinhos LGBTQ+, que une diferentes representações LGBTQIA+ no futebol, entrou com denúncia a oito clubes no STJD por conta de atos homofóbicos cometidos pelos seu torcedores. Entre os clubes acionados, estão o Ceará e o Náutico.

Além dos nordestinos, o grupo também denunciou ações das torcidas de Atlético-MG, Corinthians, Fluminense, Internacional, Paysandu e Clube do Remo. Ao todo, foram sete Notícias de Infração registradas no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva.

O STJD já confirmou o recebimento das Notícias de Infração. Segundo o órgão, elas já foram encaminhadas para a análise do Procurador-geral Ronaldo Piacente. Assim, os casos agora serão analisados pela Procuradoria do tribunal.

Ela será a responsável por decidir se acata as Notícias de Infração e realiza denúncia contra os clubes ou se arquiva o caso. Só assim, em caso de denúncia, o assunto passará pelo crivo jurídico do julgamento do STJD.

Canarinhos

O anúncio da ação foi feito pelo próprio coletivo, que se pronunciou por nota:

“Reiteramos o nosso repúdio a esses e outros atos de preconceito praticados no futebol e esperamos que os clubes e federações tomem medidas mais enérgicas no intuito de combater tais práticas que fazem com o futebol continue sendo um ambiente violento para pessoas LGBTQIAP+.

O STJD já mostrou em decisão anterior que a justiça desportiva não tolerará atos desse tipo, ao punir com veemência o Flamengo, configurando o primeiro clube punido na história pelo tribunal enquadrado na prática de homofobia pelo artigo 243-G do CBJD”.

Ceará e Náutico

Além de confirmar o recebimento, o STJD também divulgou os fatos narrados pelo grupo:

CEARÁ

“Jogo: Ceará x Corinthians (25/11): Em partida realizada no Castelão, torcida, jogadores e diretoria do Ceará proferiram cantos com palavras de cunho homofóbico. Segundo o Coletivo das Torcidas LGBTQ, em vídeo juntado, é possível ouvir um coro gigantesco gritando: “A tuf é gay” e “matador de leão e come c* de tufgay”, se referindo ao clube adversário, Fortaleza.

Na partida contra o Sport, no dia 14/11, a torcida repetiu o canto no Castelão e o presidente do clube, Robinson de Castro aparece em um vídeo segurando um telefone em referência a música.

O mesmo canto foi proferido na partida contra o Fortaleza, realizada em 17/11. No vídeo foram identificados os jogadores Vina, Gabriel Dias, Messias, Luiz Otávio, Cléber, Lima, Fernando Sobral Lacerda e Rick, além do presidente do clube, Robinson de Castro”.

NÁUTICO

“Jogo: Náutico x Sampaio Corrêa (15/11): Durante a partida torcedores do Náutico entoaram gritos de cunho homofóbico de “bicha” todas as vezes em que o goleiro adversário se preparava para bater o tiro de meta”.

Punições

Caso o assunto vá a julgamento, será por infração ao artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. De acordo com o segundo parágrafo desse trecho do texto, a prática de atos discriminatórios por parte de uma torcida pode gerar punições ao clube, enquanto os torcedores identificados são proibidos de retornar ao estádio por, ao menos, 720 dias.

Demais clubes

O STJD também divulgou os fatos narrados nas Notícias de Infração que citam as torcidas de Fluminense, Internacional, Atlético-MG, Remo, Paysandu e Corinthians:

FLUMINENSE

“Jogo: Fluminense x Internacional (06/11): Conforme registrado pela imprensa, na partida entre as equipes foi possível identificar coros de torcedores do Fluminense gritando “Arerê, gaúcho dá o c* e fala tchê”, se referindo ao clube adversário. Apesar da partida não ter sido paralisada, o sistema de som e imagem do estádio alertou a torcida para que parassem os gritos. O ato foi registrado pelo árbitro na súmula da partida”.

INTERNACIONAL

“Jogo: Grêmio x Internacional (06/11): De acordo com a Notícia de Infração do Coletivo, no grenal é possível ouvir um coro gigantesco de pessoas gritando: “Atirei o pau no Grêmio e mandei tomar no c, ô gremista filho da p chupa r* e dá o c*.

O coletivo destaca ainda que o mesmo cântico foi proferido nos jogos: Grêmio x Internacional (06/11) e Internacional x Athletico/PR (13/11)”.

ATLÉTICO-MG

“Jogo: Flamengo x Atlético/MG (30/10): Na partida, realizada no Maracanã, a torcida visitante entoou ao time mandante: ” tomar no c* mengo, tu és time de otário c, p v* e ladrão”.

Jogo: Atlético/MG x Fluminense (28/11): Imagens da partida mostram os cantos homofóbicos do clube mineiro a partir dos 40 minutos do segundo tempo. O vídeo com os cânticos foi postado nas redes sociais de uma torcedora que estava acompanhando o jogo. O caso não foi relatado na súmula da partida e, segundo o coletivo de torcidas, o árbitro descumpriu a orientação 01/2019 do STJD”.

REMO E PAYSANDU

“Jogo: Remo x Paysandu (04/12): A partida foi marcada por cenas de preconceito de ambas as torcidas. Imagens que circulam na internet mostram a torcida do Paysandu entoando gritos de v* ao jogador Neto Pessoa, aos 11 minutos do segundo tempo. Em outro momento um grupo de torcedores uniformizados gritaram várias vezes “Remista é gay, é gay, é gay”. Na mesma partida, torcedores do Remo entoaram para a torcida do Paysandu: “todo v* que eu conheço é bicolor”.

CORINTHIANS

“Jogo: Corinthians x Grêmio (05/12): Na Neo Química Arena torcedores do Corinthians entoaram gritos de cunho homofóbico direcionado aos jogadores do Grêmio. Durante o jogo a torcida gritava “gaúcho, viado” para os jogadores em campo. O fato não foi relatado na súmula”.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Trending

Copyright © 2020 NE45. Todos os direitos reservados