conecte-se conosco

CECearáÚltimas

Dorival Júnior é apresentado e espera contribuir com ‘virada de chave’ no Ceará

Foto: Felipe Santos / Ceará SC

Publicados

em

O técnico Dorival Júnior foi apresentado oficialmente como novo comandante do Ceará, nesta terça-feira (29), e já iniciou os trabalhos. Além da parte técnica e tática, o treinador terá o desafio de contribuir com uma virada de chave no clube, que falhou em momentos decisivos nesta e na última temporada. 

“Enfrentei uma situação como essa no Flamengo, em 2018. As pessoas questionavam que o Flamengo chegava nas semifinais e não dava o último passo. Eu disse que a partir do instante que tivesse uma conquista, iria chegar uma sequência positiva pelo trabalho que estava sendo desenvolvido. O que observei aqui, após a minha chegada, é que o Ceará está muito diferente do que vi anos atrás. Talvez seja um indício de que em um espaço pequeno tenha uma virada de chave”, ressaltou o novo comandante do Vozão.

Com essa experiência, Dorival Júnior acredita que é possível fazer com que o Ceará tenha uma nova postura na temporada. Nesta temporada, o treinador terá a oportunidade na Sul-Americana, Copa do Brasil e Série A do Brasileirão. 

“Essa mudança depende da nossa mudança de emocional e de como vamos enfrentar alguns desafios daqui para frente. Me sinto preparado e espero ser útil ajudando minha equipe a fazer a melhor campanha possível para quebrar esses paradigmas criados no futebol, que incomodam o torcedor. Com certeza essa virada de chave está se aproximando e espero participar desse momento”, completou. 

Confira abaixo outros trechos da coletiva de Dorival Júnior:

PERÍODO PARADO

– Tive dois anos problemáticos. Em 2019, passei por uma operação e, em 2021, tive alguns problemas pessoais. Não tinha como retornar naquelas condições. Tinha a consciência de que não seria útil aos clubes que acreditassem em mim. Tive vários contatos, mas sempre tive que declinar. A partir de janeiro eu estava zerado e teria uma nova possibilidade. Aconteceu agora com o convite da diretoria do Ceará e fico muito feliz com isso. Estou retornando com a mesma motivação de quando saí. Preparado para um novo desafio e tentando fazer o máximo possível para levarmos o clube para a melhor campanha possível ao longo do ano. Respeitando muito e agradecendo ao trabalho deixado pelos últimos treinadores, principalmente o Tiago Nunes. 

ACOMPANHAMENTO DO FUTEBOL

– O que mais fiz nesse período foi ver e analisar futebol. Porque faz parte, sempre fiz com muito prazer. Acredito que tenha intensificado um pouco mais, desenvolvendo essa condição de análise. Foi importante porque tinha essa necessidade de fazer. Precisei e não tinha outro caminho. A evolução é constante e frequente na profissão. 

ESTILO DE JOGO

– Não gosto de definir uma equipe por números. Acredito que o futebol é uma totalidade. Dentro disso, tem que atacar se defendendo e se defender já preparando para atacar. Tento aproveitar o máximo possível o que o treinador anterior deixou, mas colocando algumas condições que acredito que são importantes. O importante é deixar o jogador confortável. 

ELENCO

– Trabalhei com Victor, Richard e Wescley, mas conheço a maioria dos jogadores. Assisti boa parte dos jogos do Ceará. Há dois ou três anos tenho acompanhado as equipes do Norte e Nordeste. É uma obrigação profissional até porque as competições passam o tempo todo. Confio muito nesse elenco. O Ceará tem um time forte, valente e que já mostrou um lado muito positivo. Existe uma grande confiança que esse elenco pode dar uma virada lá na frente e nos dê uma ótima resposta. 

REFORÇOS

– Não pedi. Quero trabalhar com o elenco que foi montado. Acredito que esse grupo pode dar uma ótima resposta.

BASE

– Se tem um ponto que pode ser destacado na minha comissão é isso (trabalho com a base). Sempre tento valorizar o máximo possível os jogadores da casa, que estão sendo formados e preparados. Para ter uma ideia, na última Copa do Mundo tínhamos, dos 25 jogadores convocados, 14 que foram iniciados ou dado uma primeira oportunidade dentro dos clubes que eu estava. Acho esse número expressivo para um treinador. 

INDEPENDIENTE

– Estava fora do país, viajei duas madrugadas para chegar aqui. Não vou mentir, vou começar a olhar a partir de hoje tudo o que foi preparado do Independiente e também do Palmeiras. É uma questão de tempo para a adaptação rápida. 

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Trending

Copyright © 2020 NE45. Todos os direitos reservados