conecte-se conosco

BABahiaBaianoEstaduaisÚltimas

Bahia de Feira tira Bahia e fará primeira final do interior da história do Estadual contra Atlético

Última vez que decisão do Baiano não teve a dupla Bavi foi há 53 anos

Foto: Divulgação/ EC Bahia

Publicados

em

Na Arena Cajueiro, o Bahia de Feira superior ao Bahia e venceu por 3 a 0, na noite desta quarta-feira, pelo jogo de volta das semifinais do Campeonato Baiano – a ida havia sido 2 a 1 para o Esquadrão. Os gols da classificação à decisão foram marcados por Bruninho, no primeiro tempo, e Diones e Felipe Valdívia na reta final da etapa complementar.

LEIA MAIS: Com final inédita do interior, Vitória terá que disputar a fase pré do Nordestão de 2022

Final histórica

Com a vitória, o Bahia de Feira vai enfrentar o Atlético de Alagoinhas, na final do Campeonato Baiano, com cronograma ainda a ser definido pela FBF. Esta, aliás, será a primeira decisão entre times do interior na história da competição.

Final sem a dupla Bavi

Depois de 53 anos, a decisão do Campeonato Baiano não terá Bahia ou Vitória. A última vez que isso havia ocorrido foi em 1968, quando o Galícia foi campeão sobre o Fluminense de Feira de Santana. O Esquadrão, inclusive, volta a ficar de fora de uma final do Estadual desde 2011 – buscava o tetra.

Atlético x Bahia de Feira, a 1ª final baiana do interior. Sem Bahia ou Vitória após 53 anos

O jogo

O Bahia de Feira começou em cima, procurando ocupar o campo ofensivo e pressionar o Esquadrão, buscando ora pelo centra, ora pelos lados com cruzamento. E assim, com imposição, abriu o placar. Logo aos nove minutos, Cazumba foi acionado na ponta esquerda e cruzou para Bruninho, que só completou para abrir o placar.

Após o mau começo, o Bahia começou, aos poucos, a entrar no jogo, ainda que de forma tímida, e passou a ter mais posse de bola. Entretanto, foi pouco criativo e não conseguiu assustar. O time de Feira de Santana, por sua vez, também teve dificuldades para voltar a chegar.

Segundo tempo

Na etapa complementar, o duelo voltou equilibrado, porém, mais movimentado, com os times dando mais espaços e chances lá e cá. Precisando reverter o placar, a primeira boa chegada foi do Esquadrão, com Felipinho, que foi na linha de fundo e tocou para trás, onde Bruno Camilo chutou bem, forte, mas parou em Jean, aos dez minutos.

No lance seguinte, foi o Bahia de Feira que assustou, após saída errada do Esquadrão, em que Diones acionou Deon, mas o atacante finalizou e parou em Júnior. Já aos 16, de novo Deon finalizou após cruzamento de Jarbas, mas mais uma vez o goleiro do Bahia fez ótima defesa.

Em um ritmo forte, o Esquadrão devolveu a jogada aos 21, com Marcelo aproveitando rebote na área de cabeça, com espaço, porém o atacante mandou para fora.

Depois dessa alternância, o jogo esfriou e voltou a se concentrar no meio, com os times trocando mais passes verticais do que tentando chegar ao ataque. E só voltou a ter um lance de perigo aos 37: em chute da entrada da área, Hércules acertou o travessão. Um minuto depois, contudo, o Bahia de Feira não ficou no quase.

Depois de dividida na entrada da área, a bola sobrou para Diones, que finalizou de primeira para ampliar o placar. Desorientado, o Esquadrão não conseguiu reagir em busca do gol que levaria o duelo aos pênaltis. Pelo contrário, foi o time de Feira de Santana que fez mais um. Nos acréscimos, Pelé e Thiaguinho tabelaram, o meia serviu Felipe Valdívia entrando na área, que só deslocou Júnior para fazer o terceiro e dar números finais ao jogo.

Ficha

Bahia de Feira 3

Jean; Jarbas, Wesley, Hebert (Hercules), Cazumba; Victor Salvador, Diones (Felipe Valdívia), Bruninho (Adriano Ferreira); Thiaguinho, Deon (Marcone Pelé) e Hugo Freitas (Ricardo). Técnico: Oliveira Canindé

Bahia 0

Júnior; Raniele, Gustavo Henrique, Everson, Felipinho; Caio Mello (Jeremias), Bruno Camilo (Gustavo Custódio), Pablo; Ronaldo (Daniel Penha), Marcelo Ryan (Fabricio) e Gustavo Brinquedo (Chrystian). Técnico: Cláudio Prates

Gols: Bruninho, Diones, Felipe Valdívia (Bahia de Feira)

Trending