conecte-se conosco
Em jogo aberto, Santa Cruz bate Retrô na Arena de PE e vai às oitavas da Série D Em jogo aberto, Santa Cruz bate Retrô na Arena de PE e vai às oitavas da Série D

PESanta CruzSérie DÚltimas

Em jogo aberto, Santa Cruz bate Retrô na Arena de PE e vai às oitavas da Série D

Evelyn Victoria/SCFC

Publicados

em

Fênix tinha melhor campanha da 4ª Divisão, mas caiu antes das oitavas

A Série D tem dois campeonatos em um só. No 1º, o Retrô foi o melhor time com folgas nos grupos e o Santa Cruz nem apareceu no top-35. No 2º, o Tricolor visitou a Fênix na Arena de Pernambuco, venceu por 2×1, garantiu a vaga nas oitavas e eliminou os amarelos do torneio.

Em campo, o Santa Cruz apresentou uma postura inédita. Veloz e efetivo nos ataques, os corais saíram na frente aos 2, com Hugo Cabral. Radsley buscou o empate ainda no 1º tempo, mas Hugo Cabral não demorou para buscar o seu 2º gol e fechar o placar.

Elenco do Santa Cruz em aquecimento na Arena de Pernambuco
Evelyn Victoria/SCFC

Como fica?

Essa classificação coral veio em um somatório de 1×0. Na ida, empate sem gols no estádio do Arruda, seguido por um triunfo na Arena de Pernambuco. Assim, o Santa Cruz segue vivo no sonho do retorno à Série C. Nas oitavas de final, o adversário será o Tocantinópolis.

Os tocantinenses jogaram definiram a classificação no último sábado, conseguindo eliminar o São Raimundo-AM na disputa, em um somatório de 6×3. Na ida, empate por 2×2 no Amazonas. No Tocantins, triunfo dos novos adversários corais por 4×1.

Assim, as duas equipes fazem jogos de ida e volta nos dois próximos fins de semana – em datas a serem confirmadas pela CBF. O 1º confronto será no Arruda, no Recife, com a volta no João Ribeiro, em Tocantinópolis – a mais de 500km de Palmas, na divisa com o Maranhão.

Volantes Arthur Santos e Charles, de Santa Cruz e Retrô
Arthur Santos foi expulso no último minuto – Evelyn Victoria/SCFC

E o Retrô

Para o Retrô, a derrota culmina na eliminação da Série D. Assim, o time de Camaragibe encerra a campanha nacional muito mais cedo que o esperado. O time pernambucano teve os melhores números da 1ª fase do campeonato, mas não confirmaram o favoritismo no mata-mata.

Assim, sem o Brasileiro, a temporada termina mais cedo para o Retrô. Mas a Fênix ainda tem mais um compromisso para cumprir neste ano, uma vez que está envolvido na fase preliminar da Copa do Nordeste – ainda sem data confirmada.

Retrô x Santa Cruz

1º tempo: Jogo aberto e gols

O jogo começou da melhor maneira possível para o Santa Cruz. Com apenas dois minutos de bola rolando, o Tricolor engatou uma jogada rápida pela direita, com tabela de Ceará e Feijão. O lateral cruzou rasteiro e Hugo Cabral surgiu na 2ª trave para empurrar para o gol.

O gol relâmpago assustou o Retrô, que não teve opção senão subir as linhas. Assim, o jogo se abriu. De um lado, a Fênix era propositiva e tentava impor pressão no último terço. Do outro, a Cobra marcava bem e jogava nos contra-ataques para também criar boas chances de perigo.

E nesse jogo franco, veio o empate. Aos 27, o Santa Cruz se enrolou na defesa e Radsley recuperou na intermediária, passou liso no meio da marcação e acertou um chutaço no canto do gol de Jefferson. E o Retrô conseguiu crescer bastante na esteira do gol.

Nessa, a virada quase saiu aos 34, em um chute de Radsley que tirou tinta da trave. Se não entrou a bola do Retrô, entrou a do Santa. Aos 38, Daniel Pereira achou Hugo Cabral nas costas da zaga do Retrô e o atacante recebeu livre para bater forte no gol de Jean.

Meia Tarcísio, do Santa Cruz, em jogo contra o Retrô na Série D
Evelyn Victoria/SCFC

2º tempo: Mais pressão nos dois lados

Depois do intervalo, o jogo voltou no mesmo ritmo da etapa inicial. Pressionado para buscar a virada, o Retrô partiu para o ataque e teve grandes chances para empatar. Na melhor, aos 7, Ermel recebeu sozinho na área e bateu de primeira para fora.

E o Santa Cruz seguia conseguindo aplicar o seu jogo. Marcando bem na entrada da área o Tricolor tinha um jogo de intensidade nas subidas e levava pressão constante nos contra-ataques. A melhor chance coral veio aos 16, quando a cabeçada de Alemão parou no travessão.

Assim, o jogo seguiu com essa proposta franca. Mas após as saídas de Anderson Ceará e Hugo Cabral, o Santa Cruz perdeu intensidade e o Retrô tomou o poderio ofensivo da partida para si – e acumulou oportunidades por cima, por baixo, de longe, da área…

Nisso, a Fênix teve algumas oportunidades claríssimas para buscar o empate, mas pecou bastante na finalização, viu Jefferson intervir bem e não conseguiu converter nenhuma chance.

E os minutos finais ainda trariam grandes emoções. Aos 49, o Santa Cruz teve um gol impedido com Furtado no contra-ataque. Aos 51, no último minuto, Arthur Santos, do Tricolor, recebeu o 2º amarelo e foi expulso. Mas nada que diminuísse a festa coral nas arquibancadas da Arena de Pernambuco.

Leia a análise do Blog de Cassio Zirpoli para a partida

Ficha do jogo

Retrô (1)
Jean; Pedro Costa (Felipinho), Renan Dutra (Yuri Bigode), Guilherme Paraíba e Mayk; Charles (Diego Cardoso), Gelson (Alencar) e Radsley; Matheus Serafim (João Guilherme), Gustavo Ermel e Franklin Mascote. Técnico: Dico Wooley.

Santa Cruz (2)
Jefferson; Jefferson Feijão (Ítalo Melo), Luan Bueno, Alemão e Ítalo Silva; Daniel Pereira, Arthur Santos e Wescley (Tarcísio); Anderson Ceará (Chiquinho), Raphael Macena (Rafael Furtado) e Hugo Cabral (Matheusinho). Técnico: Marcelo Martelotte.

Local do jogo: Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata-PE
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Tiago Augusto Kappes Diel (RS) e Mauricio Coelho Silva Penna (RS)
Gols: Hugo Cabral (2’/1ºT | SCZ), Radsley (27’/1ºT | RET), Hugo Cabral (38’/1ºT | SCZ)
Cartões amarelos: Gelson, Charles (RET), Tarcísio e Matheusinho (SCZ)
Cartão vermelho: Arthur Santos (SCZ – dois amarelos)
Público: 7.263 torcedores
Renda: R$ 297.760

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Trending

Copyright © 2020 NE45. Todos os direitos reservados