conecte-se conosco

FortalezaFutebol de MulheresNordesteSportÚltimas

Brasileiro Feminino A2: com 4 nordestinos, disputa começa neste sábado; veja como chegam as equipes

Kely Pereira/FEC

Publicados

em

Botafogo-PB, Fortaleza, Sport e UDA-AL representam a Região na disputa nacional

A bola vai rolar no Brasileiro Feminino A2. E o Nordeste vai entrar em campo. Botafogo-PB, Fortaleza, Sport e UDA-AL iniciarão suas trajetórias na competição – que é o grande objetivo comum na temporada do quarteto da Região. A primeira equipe nordestina a estrear será o Belo, que recebe o 3B Sport-AM, neste sábado (15), às 15h.

No domingo (16), as Leoas da Ilha, as meninas do UDA e as Leoas do Pici enfrentam Vila Nova-GO, Esmac-PA e JC FC-AM, respectivamente. Do trio, apenas as rubro-negras jogam em casa, na Ilha do Retiro, no Recife.

Mas, como chegam as equipes? Quais os reais objetivos dentro da competição? E as contratações? O que mudou em relação à temporada de 2022? Abaixo, o NE45 responde às perguntas e destrincha a preparação do quarteto para a disputa.

Como chegam as Belas do Belo?

As Belas serão as primeiras a entrarem em campo. Crédito: Divulgação/Botafogo

A equipe comandada pela técnica Gleide Costa quer fazer um Brasileiro seguro para, quem sabe, entrar na briga pelo sonhado acesso. Esta será a terceira participação consecutiva do time paraibano no Brasileiro Feminino A2.

Presente desde a primeira edição da divisão, o Botafogo-PB só ficou de fora em 2020, quando a vaga da Paraíba foi ocupada pelo Auto Esporte.

Como chegam as Leoas do Pici? 

Fortaleza visita o JC FC-AM na primeira rodada. Crédito: Kely Pereira/FEC

O Fortaleza quer retomar um objetivo que ficou próximo na última temporada: o acesso. Na oportunidade, as Leoas avançaram até as quartas de finais, mas não superaram o Real Ariquemes. A chave, naturalmente, virou. E o time passou por mudanças – dentro e fora das quatro linhas – para 2023.

Na área técnica, inclusiva, a troca foi recente. Há quase duas semanas, a treinadora Débora Ventura deixou o comando da equipe, dando lugar a Guilherme Giudice. O treinador teve destaque no São José-SP e chegou a ocupar o posto de auxiliar técnico da Seleção Brasileira.

Em campo, sete contratações chegaram. As zagueiras Débora Xavier e Lorena Castro, as laterais Marcela e Josiane, a meio-campista Deise Santos e as atacantes Larissa Rocha e Musa reforçam as Leoas no Brasileiro Feminino A2.

Como chegam as Leoas da Ilha? 

Sport encara o Vila Nova na estreia pela competição. Crédito: Sandy James/SCR

Depois da temporada vitoriosa em 2022, o Sport apostou na manutenção da base para buscar os seus objetivos neste ano. Além da continuidade do trabalho da treinadora Regiane Santos, nomes experientes como o da zagueira Bicê, da lateral Amanda Leite, da meio-campista Isis e da atacante Pintinho foram mantidos.

Vale destacar, também, a permanência de jovens atletas como a artilheira Layza, de 19 anos, e a camisa 10 Débora BB, de 18. A dupla foi determinante nas conquistas do acesso e do título Pernambucano, que voltou para a Ilha do Retiro após dois anos.

Presentes nos triunfos de 2022, a goleira Gaby e a zagueira Jana foram as únicas baixas da equipe na transição da temporada. De reforços, chegaram a arqueira Lívia Freitas, a lateral Tamires, a zagueira Kelly e a meia Ingrid para a disputa do Brasileiro Feminino A2.

Como chegam as alagoanas?

UDA se destaca no futebol feminino de Alagoas. Crédito: Augusto Oliveira/Ascom FAF

Destaque na formação de atletas no futebol alagoano, o UDA é referência no Nordeste quando o assunto é futebol de mulheres. Atual campeão estadual, se reforçou dentro e fora das quatro linhas para 2023. Na área técnica, o técnico Pablo Pizza, ex-Minas Brasília, é a novidade.

Já em campo, o número de chegadas foi elevado. Ao todo, 21 novas jogadoras se apresentaram no clube alagoano. Entre renovações e contratações, o elenco foi encorpado com peças experientes e jovens. Caso da meio-campista Giih Ferreira, de apenas 20 anos.

Giih Ferreira, reforço do UDA para o Brasileiro Feminino A2. Crédito: Claudio Ferreira/UDA

Com passagens por clubes como América-MG, Real Ariquemes e Internacional, a jovem volante vive a expectativa de fazer a sua estreia no futebol profissional no Brasileiro Feminino A2.

“Estou bastante confiante e venho trabalhando muito. Minhas expectativas são as melhores possíveis, mas temos que ter bastante atenção e concentração para sairmos com a vitória”, avaliou.

O Brasileiro Feminino A2

Ao todo, a competição será dividida em quatro fases. Na primeira delas, a de grupos, os 16 times estarão divididos em duas chaves, com os quatro melhores do A e do B avançando às quartas de final. 

Na sequência, brigam por vagas na semifinal e na final. O quarteto semifinalista conquista o acesso à Série A1. Abaixo, entenda a subdivisão do Brasileiro Feminino A2

GRUPO AGRUPO B
Cresspom-DF3B-AM
Minas BrasíliaJC-AM
América-MGESMAC-PA
Botafogo-RJVila Nova-GO
FluminenseFortaleza
São José-SPBotafogo-PB 
A.D Taubaté-SPSport
RB Bragantino-SPUDA-AL

O critério utilizado pela CBF para formação dos grupos, diga-se, foi a proximidade geográfica por estado, já que todos se enfrentam em turno único dentro de cada grupo na primeira fase. A partir das quartas, os confrontos serão de ida e volta.

Datas do Brasileiro Feminino A2

1ª Fase: 15/04 a 27/05
2ª Fase (Quartas de final): 03 ou 04/06, 10 ou 11/06
3ª Fase (Semifinal): 17 ou 18/06, 24 ou 25/06
4ª Fase (Final): 01 ou 02/07, 08 ou 09/07

Brasileiro Feminino A2: rodadas detalhadas

PRIMEIRA RODADA

SÁBADO (15)
15h – Botafogo-PB x 3B Sport

DOMINGO (16)
15h – Sport x Vila Nova
15h – Esmac-PA x UDA
16h – JC FC-AM x Fortaleza

SEGUNDA RODADA

SÁBADO (22)
15h – UDA x JC FC
15h – Vila Nova GO x Botafogo-PB
16h – 3B Sport AM x Sport

DOMINGO (23)
16h – Fortaleza x Esmac

TERCEIRA RODADA

SÁBADO (29)
15h – Sport x Fortaleza
15h – UDA x Botafogo-PB

QUARTA RODADA

SÁBADO (6)
15h – Fortaleza x UDA

DOMINGO (7)
15h – Botafogo-PB x Sport

QUINTA RODADA

SÁBADO (13)
15h – UDA AL Sport
15h – Fortaleza Botafogo-PB

Trending

Copyright © 2020 NE45. Todos os direitos reservados