conecte-se conosco
Conselho do Sport pede que executivo esclareça uso de verbas da Liga Forte Futebol - Foto: Paulo Paiva/Sport Club do Recife - Bahia - Sport - STJD Conselho do Sport pede que executivo esclareça uso de verbas da Liga Forte Futebol - Foto: Paulo Paiva/Sport Club do Recife - Bahia - Sport - STJD

Copa do NordestePEPernambucanoSportÚltimas

Sport: Rithely, Neilton, empresas e outros jogadores apresentam petição para anular recuperação judicial do clube

Foto: Paulo Paiva/Sport Club do Recife

Publicados

em

Tese de manifestação alega fraude e diz que valor da LFF é suficiente para pagar credores

Uma petição foi apresentada na Justiça pedindo a anulação da recuperação judicial do Sport com a alegação de fraude. A manifestação foi movida pelos ex-jogadores do clube Rithely, Jean Patrick, Pablo Pardal, Neilton, Renteria, o ex-técnico Ricardo Severo, além das empresas Elenko Sports, MFP Participação e Programação de Eventos Esportivos e Nilson Simplicio Assessoria Esportiva.

A tese da manifestação é de que a adesão do Sport à Liga Forte Futebol não foi autorizada judicialmente. O que seria considerado uma fraude. E, além disso, o valor de R$ 136 milhões que o clube tem a receber pela venda de 20% dos direitos comerciais pelos próximos 50 anos é o suficiente para pagar os credores.

Na petição, é argumentado que o Rubro-negro tem um passivo de R$ 76 milhões. Portanto, os R$ 136 milhões seriam suficientes para pagar integralmente os credores sem deságio. Deste valor, o clube já recebeu R$ 68 milhões.

Vale lembrar que o Sport apresentou o plano de recuperação judicial em maio. A proposta foi de deságio de 80% da dívida.

Desta forma, a petição afirma que continuar com a recuperação judicial seria a legalização de um calote. Já que o clube teria condições de pagar os credores.

Confira os participantes da manifestação contra o Sport:

Rithely – Volante que atuou no Rubro-negro entre 2011 e 2020. Em 2023, o clube foi condenado a pagar R$ 15 milhões ao atleta

Neilton – Atacante passou pelo Leão em 2021 e deixou o clube denunciando negligência médica em tratamento de lesão.

Jean Patrick – Atuou no clube em 2020 mas foi dispensado após disputar apenas seis jogos.

Pablo Pardal – Cria das categorias de base, o meio-campista conseguiu a rescisão indireta do contrato e o Leão foi condenado a pagar R$ 500 mil.

Rentería – Contratado em 2021, o volante sequer entrou em campo e ainda ganhou na Justiça uma causa de R$ 1 milhão contra o clube.

Ricardo Severo – Foi técnico do sub-20 em 2020 e 2021.

Elenko Sports – Agência que administra a carreira de atletas como Neto Moura, Barletta, entre outros.

Nilson Simplicio Assessoria Esportiva (ArtSports Management) – Empresa de agenciamento de atletas.

Confira abaixo o posicionamento do Sport

O Sport Club do Recife e o escritório Matos Advogados recebem com muita tranquilidade a notícia da petição veiculada dos credores em questão, que não passa de uma aventura jurídica e tem como objetivo apenas tumultuar o processo da Recuperação Judicial (RJ).

Registre-se que o Clube não foi intimado e, caso necessário, manifestar-se-á no processo para dirimir eventuais esclarecimentos. Inclusive, já consta no processo um parecer dos administradores judiciais, responsáveis por fiscalizar o andamento da RJ, positivo no sentido de validar a operação financeira realizada pela LFF, sem que isso interfira na aprovação do Plano de Recuperação Judicial.

Por fim, o Sport tranquiliza o seu torcedor e entende como natural, bem como infrutífero, o movimento.

Trending

Copyright © 2020 NE45. Todos os direitos reservados