conecte-se conosco
Delmiro Gouveia, candidato à presidência do Sport Delmiro Gouveia, candidato à presidência do Sport

PEPernambucanoSportÚltimas

Leia entrevista com Delmiro Gouveia, candidato à presidência do Sport

Presidenciável falou sobre futebol, dívidas, transparência e mais; confira

Avatar

Publicados

em

A eleição do Sport, enfim, está confirmada. Após três adiamentos, os sócios do clube definem o novo presidente para o biênio 2021-2022, nesta sexta-feira, na Ilha do Retiro, no formato drive-thru, das 8h às 17h. Desta forma, o NE45 entrevistou os quatro candidatos do clube e nesta matéria traz a sabatina realizada com o oposicionista Delmiro Gouveia, da chapa Juntos Pelo Sport.

Clique AQUI para ler a entrevista com Milton Bivar
Clique AQUI para ler a entrevista com Nelo Campos
Clique AQUI para ler a entrevista com Eduardo Carvalho

Delmiro Gouveia é advogado, conselheiro do Sport e disputa sua primeira eleição à presidência do clube. Ele nunca assumiu um cargo de direção no clube, mas tem no currículo experiência em gestão, como no Cabanga Iate Clube, onde é diretor administrativo e financeiro.

Na entrevista à reportagem, Delmiro elencou problemas do Sport, disse que pretende fazer uma gestão séria, sanando dívidas e mantendo salários em dia, principalmente dos funcionários do Leão. Além disso, ressaltou que pretende trazer para junto do clube, principalmente, o torcedor mais humilde.

Entrevista de Delmiro Gouveia

Planejamento para o futebol (elenco, executivo de futebol e treinador)

“Primeiro, falta clareza no clube com a atual gestão pela condução no futebol. Não se sabe o grau de comprometimento da folha do Sport. Então vejo com muita preocupação tudo que está acontecendo no clube. Eu penso em algum técnico (Vanderlei Luxemburgo), mas temos que ver a legalidade dos atos perpetrados por essa administração. Penso sim, já viemos conversando, temos tratativas com um executivo de futebol. Então está tudo bem alinhado”.

“Nós temos que analisar. O Sport hoje está sendo conduzido de forma irresponsável. O Sport hoje não tem uma sobra de caixa. Temos que analisar cada setor, onde é mais deficitário, onde tem uma necessidade de contratar. Isso você faz com executivo, com treinador, sim. E não de forma açodada como vemos na atual gestão, que renovou com jogadores que pouco contribuíram para o resultado no Campeonato Brasileiro. Nós não caímos, na verdade, porque muito se deve aos nossos adversários. Mas renovar com vários jogadores foi um desastre. Então tem que ser analisado criteriosamente para ver. Precisamos de um lateral-esquerdo, um meia para trabalhar com Thiago Neves. São questões que vão ser discutidas, e não com uma pessoa só decidindo, como está sendo hoje”.

Cuidados e investimentos para categoria de base

“Nós fomos a única chapa que propôs a integração da base com o profissional. Há muito tempo que os clubes europeus fazem isso. Os profissionais que integram a base têm que ser tão qualificados quanto os que atuam no time principal. Então você não pode colocar qualquer um para gerir sua base. Ali é onde está seu fruto, sua renda. É uma imprudência muito grande você deixar a base abandonada e, simplesmente, não colocar um profissional preparado. Porque aquele jogador da base, mais pra frente, você vai auferir o atendimento. E esse jogador vai servir para ajudar o pagamento para as dívidas que o Sport tem hoje, que não são poucas. Proponho formar um condomínio de credores e uma fração desses atletas da base que despontam, parte desse valor direcionamos para o Sport honrar seus compromissos”.

“Vemos hoje no CT o desprestígio que o pessoal da base enfrenta. Temos que prestigiar a base, aquela criança e aquele jovem que sai do interior, deixa a família, buscando algo melhor para a família, e é tratado desse jeito. Falta uma sensatez, humanidade, comprometimento dos dirigentes rubro-negros e de gente que depenou o clube nos últimos anos”.

Investimentos em esportes olímpicos e futebol feminino

“Eles têm que ter uma vida independente. Não podemos tirar dinheiro desses esportes para o futebol profissional. Sabemos que a mola mestra do clube é futebol, isso não se discute. Mas eles têm que ter vida própria. Aquele patrocinador que conseguirmos para o futebol feminino e outros esportes, continuaremos. Aquela renda tem que continuar nele, e não desviar. O que hoje se observa, você tira o dinheiro do futebol, coloca no remo, depois tira do remo, coloca no vôlei, depois tira e coloca no basquete, e isso não é profissionalismo. Nós temos que buscar isso, a iniciativa privada tem que vir para dentro do clube”.

Planos para o pagamento de dívidas e aumentar arrecadação

“Não se pode, em lugar nenhum do mundo, gastar mais do que se ganha. Primeiro, precisamos saber quanto é nossa receita. Sabendo, vamos traçar o planejamento para aumentá-la. Aumentando, faremos um planejamento estratégico a médio e longo prazo para quitarmos essa dívida do Sport. O Sport tem que voltar a honrar compromissos. Quem honra compromissos, paga mais barato. Hoje o Sport não faz isso. Hoje o salário dos funcionários está atrasado. Temos que ter um planejamento, uma gestão, e quem quer se perpetuar, não vai honrar esses compromissos. Faremos uma análise criteriosa do que é o Sport e veremos o custo, que vamos moldar para honrar compromissos. Na minha gestão, funcionário não recebe atrasado. É um compromisso assumido”.

Utilização do espaço da Ilha do Retiro para levantamento de receitas e melhorias da estrutura

“Não vou permitir que o Sport seja objeto de especulação imobiliária. Vou modernizar o clube, mas objeto de especulação imobiliária, feito tem chapa bancada por especuladores, não vou permitir. Isso é claro. O patrimônio do Sport tem que ser modernizado. Temos um grande parque aquático e que não é valorizado como merece. Temos um CT que é como uma Ferrari, mas que não temos um piloto. O patrimônio voltará a ser valorizado”.

Ideias para aumentar o número de sócios em dia do Sport

“Isso é a falta de diálogo e sensibilidade da diretoria. No meu programa, vou criar vários planos de sócio. Aquele torcedor que quer contribuir com R$ 10 por mês, dizer que contribui com seu clube e tem o seu cartão. Num momento de dificuldade que vivemos, de pandemia, vimos diversas pessoas que estão querendo pagar, e o Sport nem está querendo receber. É uma bagunça, é incompetência. Você tem que valorizar aquele grande torcedor, que infelizmente não tem a mesma condição de contribuir uma pessoa com condições mais favoráveis. Temos que ter planos mais simples”.

Posição sobre a reforma do estatuto

“Sou totalmente a favor da modernização criteriosa. Mas tem alguns pontos que sou totalmente contra. Ninguém deve ter subsistência do Sport, sou totalmente contra. Quem decide é a assembleia geral, ela é soberana. Vamos tomar fé e encaminhar o projeto de reforma, tomando todos os encaminhamentos necessários”.

Transparência como um pilar da gestão

“A transparência é um dos pilares de qualquer administração séria. Você não pode esconder números. O portal de transparência não pode ser só um nome. Como você vai administrar um clube de forma séria, sem abrir os números? Claro que tem alguns contratos que guardam questões de segurança com o clube, mas tem coisas que é preciso compartilhar com seus pares. O Sport não tem dono, seu dono é o torcedor e o associado”.

Caso vença o pleito, como será a relação com candidatos de outras chapas?

“Chamarei todos para uma conversa. O Sport tem que ser no diálogo. O nome da nossa chapa é Juntos Pelo Sport. Não há outra forma. Então eu queria frisar isso. Fomos a única chapa que chamou todos para conversar. A única chapa que fez um protocolo de intenção no sentido de ajudar os funcionários que passam por um momento difícil, que não é só nosso, é de todos. E ninguém apareceu. Tratam como um interesse pessoal”.

Relação do clube com torcidas organizadas

“Sou muito claro e taxativo nisso. O bom torcedor, que vai com a charanga, com a bandeirola, vai ter o apoio. Vamos devolver a alegria à Ilha do Retiro. Agora, o mau torcedor, é problema com a lei, Justiça e polícia. Não vou acobertar. O bom torcedor vai, sim, ter um incentivo. Não tenha dúvida disso”.

Considerações finais

“Nossa campanha foi propositiva, sempre buscando a alternativa de união de todos. E posteriormente à nossa eleição, vamos buscar a conversa com todos. Mas é decepcionante a forma que é conduzida a eleição no Sport, a administração do clube, a maneira que a comissão eleitoral instituída conduz o processo, com chapas que sequer preenchem os requisitos mínimos para disputar, sem um número mínimo de candidatos. Então tudo no Sport conspira para a decadência do clube, e não é isso o que queremos. O Sport é time de vitória, de guerra, de luta. É um time vitorioso. Então temos que reverter essa curva”.

“Espero que o associado entenda que o Sport seja pensado como um todo, não só no futebol. Uma gestão responsável, com transparência. É importante observar quem está compondo cada chapa, pessoas que estão patrocinando a volta de pessoas que fizeram mal ao Sport. É preciso abrir o olho. Fomos os únicos a registrar o plano de gestão, do início ao fim. O Sport tem que ser analisado por inteiro, não por tópicos. Analisado como um todo. Esperamos que tudo transcorra normalmente, com lisura e transparência”.

 

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending