conecte-se conosco
Técnico Ranielle Ribeiro, ex-Campinense, hoje no Santa Cruz Técnico Ranielle Ribeiro, ex-Campinense, hoje no Santa Cruz

PESanta CruzSérie DÚltimas

Ranielle Ribeiro: Conheça perfil e histórias do novo técnico do Santa Cruz

Daniel Lins/Campinense

Publicados

em

Técnico forçou reprovação na escola, trabalhou em rivais ao mesmo tempo e deu a volta por cima após uma perda pesssoal

O Santa Cruz oficializou Ranielle Ribeiro como novo treinador nesta sexta-feira. Mas sendo um nome da nove geração, Ranielle ainda não é muito conhecido pelo torcedor. Assim, o NE45 reuniu algumas histórias do novo técnico do Santa Cruz, além do seu perfil de trabalho.

O perfil do novo treinador do Santa Cruz

Ranielle chega ao Santa Cruz após um trabalho vitorioso no Campinense. Em 15 meses, foram dois títulos e um acesso. E a maior parte da passagem foi de poucas críticas. Elas apareceram só na reta final, quando o time, em dificuldades financeiras, já caminhava para o rebaixamento.

Nesse momento complicado, Ranielle também assumiu culpa pelos problemas, principalmente na defensa, coisa que não conseguiu corrigir até sua saída. Ainda assim, alguns torcedores o consideram um dos treinadores mais vitoriosos que já comandaram o Campinense.

Parte disso se dá ao perfil de liderança exercido pelo novo treinador do Santa Cruz. Assumindo um clube em momento de desequilíbrio, ele conseguiu organizar e dar um padrão de jogo rapidamente ao elenco e a torcida sempre aceitou bem o seu estilo propositivo de jogo.

Samy Oliveira/Campinense

O baque e a volta por cima do profissional

Mas a carreira de Ranielle Ribeiro é marcada por um drama pessoal. Em janeiro de 2019, quando ele treinava o ABC, o treinador perdeu a esposa. Ana Letícia Rezende Fernandes Queiroz tinha 39 anos e foi encontrada morta pelo próprio irmão, com sinais de enforcamento.

Quase três anos depois, quando do acesso pelo Campinense à Série C, ele falou à imprensa e ao elenco, ao lado de seu filho, Enzo, então com 8 anos. Ranielle lembrou da esposa e agradeceu à Raposa, que, segundo ele, “recuperou um profissional que já não acreditava mais em si”.

“Nos momentos mais difíceis, ela esteve ao nosso lado. Então, é por ela que nós estamos aqui. Não esqueçam de comemorar com a família de vocês”, afirmou Ranielle Ribeiro, emocionado após a conquista em Campina Grande.

Trabalhar em rivais ao mesmo tempo?

Ranielle Ribeiro nunca foi profissional dentro das quatro linhas, mas atuou no time de futsal do América-RN de 2000 a 2004 e foi penta do Potiguar pelo Dragão. Mas fez isso conciliando com o posto de preparador físico no sub-20 do ABC, cargo que ocupou entre 2002 e 2004.

De quebra, ele ainda tinha mais três empregos, ensinando futsal em três colégios de Natal. Depois, ele deixou a jornada múltipla e passou por Botafogo-PB, CSA, Ceará, Treze e Guamaré-RN. Enquanto esteve nesse último, inclusive, ele também jogou no futsal do ABC.

A carreira

No ano seguinte, ele retornou à comissão técnica do Elefante, onde seguiu por 10 anos. Então, Ranielle ganhou chances como interino em 2016 e 2017. Na última, ele assumiu no fim e não conseguiu evitar a queda à 3ª Divisão, mas apresentou bons resultados e recebeu a confiança.

Treinador Ranielle Ribeiro, pelo ABC, em 2018
Andrei Torres/ABC FC

Assim, ele começou 2018 se dividindo entre as funções de preparador físico, fisiologista e treinador e conseguiu convencer no comando técnico do time, seguindo por mais um ano e meio à frente do Elefante. Nesse meio-tempo, ele ainda foi campeão do Potiguar.

Ao deixar o clube, Ranielle teve passagens por Lagarto e Anápolis, chegando ao Campinense em abril de 2021. Foram 15 meses, com um bi estadual e um acesso à C. Mas ele também esteve à frente na maior parte da campanha da queda neste ano. Ele chega ao Santa Cruz após três meses sem clube.

Os trabalhos de Ranielle Ribeiro

  • 2016-17 – ABC (Interino)
  • 2018-19 – ABC – 75J 38V 14E 23E (57%)
  • 2020 – Lagarto-SE – 9J 2V 3E 4D (33%)
  • 2020-21 – Anápolis-GO – 7J 1V 3E 3D (29%)
  • 2021-22 – Campinense – 67J 27V 25E 15D (53%)
  • 2023 – Santa Cruz

A escola e os tempos de Futsal

Voltando aos primeiros passos de Ranielle Ribeiro no esporte, outra história curiosa do treinador. Destaque nos Jogos Escolares do Rio Grande do Norte, Ranielle não conseguiu passar no vestibular na sua 1ª tentativa, assim, ele tomou uma decisão bem inusitada.

Em entrevista ao portal ge/rn, o novo treinador do Santa Cruz revelou que pediu uma bolsa ao coordenador e forçou uma reprovação por falta no 3º ano. Assim, ele jogou mais uma edição dos Jogos Escolares e garantiu a aprovação no ano seguinte.

“‘Me dá uma bolsa no próximo ano?’ Ele disse: ‘Dou’. ‘Então pode me reprovar, eu não venho mais para a aula’. Minha mãe queria me dar uma surra. Eu dizia: ‘A gente não tem dinheiro para pagar, tem que ter outra bolsa, aí eu vou estudar mais e vou passar no vestibular”, contou.

Técnico Ranielle Ribeiro, do Campinense
Daniel Lins/Campinense

Um susto fora de campo

E há pouco mais de um ano, outro susto. No fim de agosto do ano passado, quando treinava o Campinense, Ranielle Ribeiro teve um mal estar, com quadro de precordialgia (dor localizada do lado esquerdo do tórax), e precisou ser submetido a um cateterismo em Campina Grande.

O treinador precisou ficar em observação e se ausentou dos trabalhos por nove dias, mas a hipótese de infarto foi descartada e nenhum problema foi identificado no coração de Ranielle. Ele, inclusive, ficou ausente de uma partida do time na Série D enquanto se recuperava.

Trending

Copyright © 2020 NE45. Todos os direitos reservados