conecte-se conosco

BABahiaSérie AÚltimas

Mano Menezes tem o 3º pior início de trabalho no Bahia em pontos corridos

Publicados

em

O começo de trabalho de Mano Menezes no Bahia passa longe de ser considerado tranquilo. Além de ser alvo de críticas sobre as escalações e as substituições dos atletas nas partidas, o rendimento da equipe na Série A também desperta preocupação. Sobretudo quando levantado o histórico do clube na era dos pontos corridos do Campeonato Brasileiro, sendo a primeira participação em 2003.

Embora a derrota para o Melgar fora de casa também acenda um grande sinal de alerta, pelo fato da Sul-Americana ser vista como um objetivo substancial do Bahia na década, a análise levará em consideração os números pela Série A. O jogo da volta, inclusive, pode dar a Mano Menezes maior tranquilidade para seguir no cargo, caso consiga reverter a desvantagem e avançar de fase.

Sequência de jogos de Mano Menezes na Série A 2020

Bahia 0 x 1 Atlético-GO
Corinthians 3 x 2 Bahia
Athletico-PR 1 x 0 Bahia
Botafogo 1 x 2 Bahia
Bahia 1 x 2 Sport
Bahia 3 x 0 Vasco
Fluminense 1 x 0 Bahia
Goiás 1 x 1 Bahia
Bahia 3 x 1 Atlético-MG
Santos 3 x 1 Bahia

Incluindo somente os treinadores que comandaram o Bahia por pelo menos dez jogos, em uma das nove edições do clube na era dos pontos corridos, com apenas três vitórias , um empate e seis derrotas, Mano Menezes apresenta o terceiro pior rendimento inicial de todos os 14 treinadores que se encaixam no recorte.

Desempenhos dos técnicos nos 10 primeiros jogos

2012 Jorginho Cantinflas 60%
2017 Carpegiani 60%
2003 Evaristo 50%
2014 Gilson Kleina 46,66%
2019 Roger Machado 46,66%
2018 Enderson Moreira 43,3%
2013 Cristóvão Borges 42,1%
2011 Joel Santana 40%
2017 Jorginho 40%
2003 Lula Pereira 36,6%
2011 Renê Simões 33,3%
2020 Mano Menezes 33,3%
2014 Marquinhos Santos 26,6%
2012 Falcão 23,3%

Retrospecto que representa 33,3% dos 30 pontos disputados até aqui com Mano, que só não fica atrás de Renê Simões, que também somou 33,3% (2011), além de Marquinhos Santos e Paulo Roberto Falcão, que somaram respectivamente 26,6% (2014) e 23,3% (2012).

Confira o levantamento completo

2003
Bobô 6J, 1V, 1E, 4D = 22,2%
Evaristo 18J, 5V, 6E, 7D = 38,88%
Marcelo Chamusca (interino) 2J, 1V, 1D = 50%
Lula Pereira 13J, 3V, 3E, 7D = 33,3%
Edinho Nazareth 7J, 2V, 5D = 28,57%

2011
Renê Simões 20J, 4V, 9E, 7D = 35%
Eduardo Barroca (interino) 1J, 1V = 100%
Joel Santana 17J, 6V, 4E, 7D = 43,13%

2012
Falcão 10J, 1V, 4E, 5D = 23,3%
Eduardo Barroca (interino) 1J, 1E = 33%
Caio Júnior 8J, 2V, 3E, 3D = 37,5%
Jorginho Cantinflas 19J, 8V, 6E, 5D = 52,63%

2013
Cristóvão Borges 38J, 12V, 12E, 14D = 42,1%

2014
Marquinhos Santos 12J, 2V, 3E, 7D = 25%
Gilson Kleina 15J, 4V, 3E, 8D = 33,3%
Charles Fabian (interino) 5J, 2V, 3D = 40%

2017
Guto Ferreira 3J, 1V, 2D = 33,3%
Jorginho 14J, 4V, 4E, 6D = 38,1%
Preto Casagrande 9J, 3V, 3E, 3D = 44,4%
Carpegiani 12J, 5V, 4E, 3D = 52,77%

2018
Guto Ferreira 9J, 2V, 2E, 5D = 29,63%
Cláudio Prates (interino) 3J, 1V, 1E, 1D = 44,44%
Enderson Moreira 26J, 9V, 9E, 8D = 46,15%

2019
Roger Machado 38J, 12V, 13E, 13D = 42,9%

2020
Roger Machado 6J, 2V, 2E, 2D = 44,4%
Mano Menezes 10J, 3V, 1E, 6D = 33,3% (até o dia 3 de novembro de 2020)

Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

Trending

Copyright © 2020 NE45. Todos os direitos reservados