Connect with us
Náutico reclamou de um pênalti não marcado em Júlio Náutico reclamou de um pênalti não marcado em Júlio

NáuticoPEPernambucanoÚltimas

Em jogo marcado por erros da arbitragem, Náutico sofre gol no final e empata com o Retrô pelo Pernambucano

Foto: Tiago Caldas/CNC

Published

on

Em um jogo marcado por erros de arbitragem com pênaltis não marcados para o Náutico, o Timbu ficou no empate por 1×1 com o Retrô, nesta quarta-feira (25), no Arruda, pelo Campeonato Pernambucano. O Alvirrubro saiu na frente com Souza, de pênalti, mas no final a Fênix igualou o placar com Albano. 

O empate nos acréscimos garantiu a liderança do Retrô, que tem 10 pontos. A Fênix volta a campo diante do Sport, sábado, às 19h, na Ilha do Retiro. Enquanto o Náutico é o 3º colocado com 8 pontos e receberá o Porto, segunda-feira, às 20h, nos Aflitos. 

Retrô reage aos 47, empata com o Náutico e segue líder no Pernambucano

Equilíbrio, pênaltis não marcados e defesas de Vagner

A primeira etapa do jogo foi equilibrada e com alternância de domínio. O Náutico começou melhor e logo aos 5 minutos teve um pênalti não marcado pela arbitragem. Júlio recebeu de Souza, invadiu a área e foi empurrado por Guilherme Paraíba. Mas o árbitro Diego Fernando mandou o jogo seguir. O atacante reclamou e ainda tomou amarelo.

Após os 25 minutos, o Retrô melhorou, foi mais perigoso e deu trabalho a Vagner. Aos 29, Matheus Serafim passou por Anilson com facilidade e cruzou. Mascote cabeceou e o goleiro alvirrubro fez uma grande defesa.

Também de cabeça, Gustavo Ermel mandou próximo da meta do Timbu na sequência. E, por fim, Pedro Costa cruzou, Mascote subiu só e mandou de cabeça para outra defesa de Vagner. 

Aos 31, outra reclamação alvirrubra. Diego Ferreira cruzou e a bola bateu em Alencar. Os jogadores do Náutico alegaram que bateu no braço, mas outra vez a arbitragem mandou seguir.

O Timbu voltou a concluir um ataque apenas na reta final. Paul Villero arriscou de fora da área e Jean espalmou para escanteio.

Náutico crítica arbitragem

Por conta dos pênaltis não marcados, o Timbu fez uma postagem em tom de crítica e ironia no intervalo. A tuitada logo repercutiu na torcida pelos erros da arbitragem.

Pênalti marcado e empate no final

Na volta do intervalo, o Timbu começou em cima e, desta vez, teve um pênalti marcado. Aos 8, Paul Villero entrou na área e Pedro Costa tentou afastar, mas atingiu o atleta alvirrubro na área. O árbitro marcou a penalidade. Souza bateu com categoria, deslocou Jean e mandou no canto esquerdo para fazer 1×0. 

O Retrô tentou pressionar após ficar em desvantagem. Chegou com perigo algumas vezes, sobretudo pelo lado direito. Aos 31, Giva fez uma boa jogada pela direita e Mascote recebeu na entrada da área, mas chutou para fora.

Depois das mudanças de Dado Cavalcanti, o Náutico passou a administrar o resultado. Contudo, nos acréscimos, o Retrô chegou ao empate com Albano, que passou pela marcação e chutou no canto de Vagner para deixar tudo igual. Antes do final, Matheus Serafim foi expulso por dar uma cabeçada em Villero.

Ficha do jogo

Retrô 1
Jean; Pedro Costa, Renan Dutra (Yuri Bigode), Guilherme Paraíba e João Victor; Ratinho, Alencar (Albano) (Edson Lucas) e Radsley (Giva); Gustavo Ermel (William), Matheus Serafim e Mascote.

Náutico 1
Vagner; Diego Ferreira (Odivan), Anilson, Denilson e Diego Matos; Juan Gauto (Matheus Cocão), Jean Mangabeira e Souza (Nathan); Matheus Carvalho (Gabriel Santiago), Paul Villero e Júlio (Kayon). Técnico: Dado Cavalcanti.

Local: Estádio do Arruda, no Recife-PE.
Árbitro: Diego Fernando Silva de Lima
Assistentes: Clovis Amaral da Silva e Victor Matheus de Lavor Paes Barreto
Gols: Souza (Náutico), aos 10 do 2ºT; Albano (Retrô), aos 47 do 2ºT.
Cartões amarelos: Radsley e Giva (Retrô); Vagner, Anilson, Diego Matos, Juan Gauto e Júlio (Náutico).
Cartão vermelho: Matheus Serafim (Retrô).
Público: 1.932
Renda: R$ 52.860

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending

Copyright © 2020 NE45. Todos os direitos reservados