conecte-se conosco
O ABC teve um ano ruim e foi rebaixado para a Série C. Foto: Rennê Carvalho/ABC F.C. O ABC teve um ano ruim e foi rebaixado para a Série C. Foto: Rennê Carvalho/ABC F.C.

ABCCopa do BrasilCopa do NordestePotiguarRNSérie B

Com início promissor, ABC encerra 2023 rebaixado e com a pior campanha do clube na Série B; veja o raio-x da temporada

Publicados

em

ABC viveu um ano de altos e baixos, com o pior momento na Série B

O ano de 2022 para o torcedor do ABC foi de grandes conquistas. Com mais um título do Campeonato Potiguar, o clube conseguiu o tão sonhado acesso para a Série B. O início de 2023, foi a continuidade do êxtase vivido durante o ano passado e isso perdurou até o começo da Copa do Brasil, quando a equipe se desencontrou e passou a cair de rendimento.

No começo do ano, o ABC foi destaque nacional pelo excelente ataque e pelo retrospecto positivo dentro de casa. Em março, o time marcou 45 gols e foi considerado o segundo melhor ataque do Brasil, considerando times da Primeira Divisão. Além disso, os torcedores que foram ao Frasqueirão não presenciavam uma derrota do time há mais de um ano. Quase um mês depois, os torcedores assistiram aos poucos a queda da equipe.

Em 2023 foram três treinadores sob o comando do Mais Querido. O começo com Fernando Marchiori, que estava no clube há mais de um ano. Ele foi demitido após uma sequência ruim na Série B e foi substituído por Allan Aal, que chegou na expectativa de tirar o time da zona de rebaixamento. E sem grandes perspectivas, a diretoria deu a cartada final ao chamar Argel Fucs, que também tentou reerguer o time, mas sem êxito.

Sem conseguir avançar de fase na Copa do Brasil, perdendo o título do Potiguar para o grande rival, o América-RN, e fazendo a sua pior campanha na Série B na era dos pontos corridos, o ABC terminou o ano surpreendendo de forma negativa a torcida que esperava algo mais da equipe.

Campeonato Potiguar

O América-RN tem vantagem do empate em cima do ABC no Potiguar. Foto: Rennê Carvalho/ABC F.C.
Foto: Rennê Carvalho/ABC F.C.

Em janeiro, o Elefante entrou em campo para os primeiros jogos do Potiguar. No grupo A, conseguiu se classificar de forma invicta para a segunda fase, e perdeu o primeiro jogo do ano para o Potiguar.

A decisão do título contra o América-RN aconteceu em maio, já que a equipe estava com um calendário de jogos mais apertado. Na primeira partida, perdeu por 1 x 0 e empatou a segunda. Em números, foram 15 jogos, com 11 vitórias, 2 empates e 2 derrotas.

O rival comemorou o título do campeonato dentro do Frasqueirão, lugar que era a grande força da equipe e que se perdeu durante a Copa do Brasil contra o Grêmio.

Copa do Nordeste

Fernando Machiori elogiou a evolução da equipe do ABC, apesar da derrota para o Sport. Fotos: Rennê Carvalho/ABC F.C.
Fotos: Rennê Carvalho/ABC F.C.

Conciliando com o Estadual, o Nordestão também teve início em janeiro. E a estreia do ABC foi de derrota para o Sport fora de casa, mas isso não abalou a equipe que vinha fazendo bons jogos e conseguiu terminar a fase de grupos na vice-liderança do grupo B.

Na fase final, foi disputar as quartas contra o Náutico em jogo único. E a fama de ser um time perigoso dentro de casa se confirmou com uma boa vitória no Frasqueirão em cima do Timbu por 3 x 1.

Na semifinal reencontrou o Sport, que era um dos favoritos ao título, e perdeu pelo placar de 1 x 0. A partida foi repleta de confusões e adversidades visto que choveu muito no Recife e a Ilha do Retiro ficou impraticável para jogo. Com a paralisação aos 16 minutos do segundo tempo, tudo foi retomado no dia seguinte.

Apesar disso, o time comandado por Marchiori conseguiu ir a fase final da competição após quatro anos de quedas na fase de grupos, em 2022 não passou da Pré-Copa perdendo para o Sousa. Em 2023, foram 10 jogos com 5 vitórias, 2 empates e 3 derrotas.

Copa do Brasil

Grêmio x ABC
Foto: Rennê Carvalho/ABC

O ABC disputou pela 24º vez a Copa do Brasil e a expectativa era grande, mas ao mesmo tempo consciente por parte do torcedor. O campeonato é difícil e o clube não tem um retrospecto de chegar em fases finais. O mais longe que conseguiu ir foi às quartas de final, em 2014.

A primeira rodada foi uma goleada em cima do Tuntum, time maranhense. A segunda foi contra o Vasco, em São Januário. Após a decisão terminar em 0 x 0, e com um bom jogo do Mais Querido, tudo foi resolvido nos pênaltis. O argentino Luca Orellano desperdiçou para o Gigante da Colina e o ABC passou de fase.

Na terceira rodada, o time abecedista não tinha mais a Copa do Nordeste e ficou mais “livre” para conseguir montar uma boa equipe. As lesões, problema recorrente durante o ano, começaram a aparecer, mas naquele momento não foi um grande empecilho. No primeiro jogo contra o Grêmio, o Elefante jogou dentro de casa e viu a invencibilidade de mais de um ano ruir diante o torcedor. No segundo jogo, o ABC jogou bem e teve condições de derrotar o Tricolor, mas o empate em 1 x 1 decretou a eliminação.

Série B

ABC empata com o Botafogo-SP e chega ao 10º jogo sem vencer na Série B
Foto: Rennê Carvalho/ABC

A Série B começou no dia 16 de abril em uma derrota para o Londrina fora de casa. E a sequência de resultados ruins permaneceu por mais de um mês. Com a situação, o time entrou na zona de rebaixamento desde então.

A primeira vitória só aconteceu no dia 23 de maio, contra a Tombense por 1 x 0, com um gol contra. Enquanto disputava a Série B, o Mais Querido enfrentou a eliminação na Copa do Brasil e perdeu o título do Potiguar para o rival América-RN.

As vitórias do ABC na Série B dá para se contar nos dedos. Foram cinco ao total e todas bastantes espaçadas, já que a equipe não conseguiu emendar, pelo menos, três vitórias consecutivas. Durante toda a campanha, a equipe, que foi comandada por três treinadores diferentes, só foi capaz de ter sequências negativas. As vitórias do ABC no campeonato foram: Tombense (1 x 0), Avaí (2 x 0), Ponte Preta (2 x 0), Guarani (3 x 2) e Vila Nova (3 x 2).

O 20º lugar na tabela se tornou algo comum e a perspectiva de sair dessa posição foi muito baixa, visto que a equipe não conseguia somar pontos. Um grande problema enfrentado foi as consecutivas lesões dos jogadores. Os treinadores reclamaram da falta de peças de reposição durante as coletivas de imprensa.

Basicamente, todas as posições sofreram com a falta de um jogador de origem em algum momento do campeonato. Salvo o goleiro, que decidiu sair da equipe e aceitar uma proposta internacional.

Na transição de Marchiori para Aal foi o auge das lesões dos jogadores. Por mais de dois jogos, os treinadores sofreram sem jogadores nas laterais. Os zagueiros tiveram que jogar improvisado e isso prejudicou a equipe, tanto na defesa quanto no ataque. O time já teve mais de 13 jogadores no DM (Departamento Médico).

O rebaixamento foi decretado na 34º rodada, faltando quatro partidas para o fim do campeonato. Mesmo com as duas vitórias nas últimas rodadas, o time terminou na 20º posição com 28 pontos, sendo 5 vitórias, 13 empates e 20 derrotas.

Esta foi a pior campanha do ABC na Série B na era dos pontos corridos. Conseguiu superar a de 2009, quando o clube também terminou na lanterna da competição. Mas na época, somou 35 pontos, com 10 vitórias, 5 empates e 23 derrotas.

ABC em 2024

Na última rodada da Série B, a diretoria correu para buscar um novo técnico e iniciar uma reformulação no elenco. Rafael Lacerda, técnico que conseguiu conquistar a Série C com o Amazonas, foi contratado.

Em 2024, a diretoria quer montar um elenco mais competitivo porque o objetivo segue em tentar retornar a Segundona. O ABC terá compromissos logo no início de janeiro, com o Campeonato Potiguar, Copa do Brasil, Nordestão e a Série C.

Números, estatísticas e mais sobre o futebol nordestino: Confira as últimas do Blog de Cassio Zirpoli

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending

Copyright © 2020 NE45. Todos os direitos reservados