conecte-se conosco

BACopa do BrasilPESportÚltimas

Jogo entre Juazeirense e Sport é encerrado por falta de energia e será decidido no STJD

Seguindo o Regulamento Geral das Competições, STJD vai investigar o porquê da partida não ter sido finalizada

Foto: Anderson Stevens/ Sport Recife

Publicados

em

O confronto entre Juazeirense e Sport, válido pela primeira fase da Copa do Brasil será decidido nos tribunais. Isso porque a partida foi encerrada antes do fim por falta de iluminação, quando ainda restavam seis minutos para serem jogados. O time baiano vencia por 3 a 2 e estava se classificando. Com isso, a definição da classificação deverá ser levada para o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

VEJA MAIS: Confira aqui outras notícias do Sport

A partida teve duas quedas de energias nas torres de iluminação do estádio Adauto Monteiro. Na segunda, a espera foi de mais de uma hora, superando os 30 minutos estabelecidos pelo Regulamento Geral de Competições da CBF. Após muita indefinição, e sem melhora na iluminação do estádio, o árbitro Ramon Abatti, de Santa Catarina, resolveu reiniciar a partida. Porém, sem a concordância dos jogadores do Sport. Com isso, o jogo foi dado por encerrado.

Apagão acaba jogo com vitória da Juazeirense sobre o Sport; vaga será definida no STJD

No STJD, serão analisados dois artigos (20 e 22) que falam sobre interrupção de uma partida antes do tempo regulamentar. Eles dizem o seguinte:

Art. 22 – As partidas que forem interrompidas após os 30 (trinta) minutos do segundo tempo pelos motivos relacionados no art. 19 deste RGC serão consideradas encerradas, prevalecendo o placar daquele momento, desde que nenhum dos clubes tenha responsabilidade pelo encerramento da partida”.

E dentre os motivos relacionados no artigo 19 do RGC está, justamente, a falta de iluminação. Além disso, o Regulamento Geral das Competição fala em decisão no STJD com relação a partidas em quem uma das equipes depende de saldo de gols para obter a uma classificação.

Art. 20 – Quando a partida for suspensa por quaisquer dos motivos previstos no art. 19 deste RGC, assim se procederá após julgamento do processo correspondente pelo STJD: III – se o Clube que não deu causa à suspensão da partida estiver dependendo de saldo de gols para obter classificação às fases ou competições seguintes, a situação será decidida pela Justiça Desportiva“.

Anti-jogo

Antes mesmo das interrupções por falta de energia, a partida já estava sendo marcada pelo antijogo da Juazeirense, após a virada por 3 a 2 no segundo tempo. As bolas dos gandulas sumiram e o sistema de irrigação ligou no meio do jogo mais de uma vez. Além disso, houve uma interrupção para atendimento do zagueiro Dedé, após choque com o atacante Mikael. Com direito a entrada da ambulância em campo. Com isso, o árbitro Ramon Abatti deu 11 minutos de acréscimos. E no meio deles, aos 50, os refletores foram parcialmente desligados, paralisando a partida por quase trinta minutos. Quando retornaram, durou cerca de um minuto, até voltarem a não funcionar. Dessa vez, em definitivo.

Enquanto a bola rolou

Enquanto teve jogo com a bola rolando, a Juazeirense saiu na frente no primeiro lance com Kesley, o Sport marcou logo em seguida com Ronaldo e Mikael, e no segundo tempo o Cancão virou com Clebson e Dedé.

O jogo

Com vários desfalques, Jair Ventura seguiu com o esquema de três zagueiros na estreia do time principal, como havia terminado a última Série A. Com a vantagem do empate, porém, a estratégia rapidamente ruiu. Já a Juazeirense, precisando vencer, começou com tudo. E foi premiada.

Leão vacila e Juazeirense marca

Com um minuto, Clebson cobrou falta falta de longe, Luan Polli rebotou muito mal para o meio da área e Keslen só empurrou para abrir o placar. A resposta do Sport, porém, não durou muito. No primeiro ataque, o Leão acertou a trave com Thyere, de cabeça, e no rebote Mikael teve o gol tirado pelo zagueiro, que bloqueou em cima da hora.

Pressão do Sport

E a blitz rubro-negra era um prenúncio do que estava por vir. Aos 11 minutos, Patric foi atropelado por Daniel na área após bom passe de Gustavo. Pênalti. Na bola, Ronaldo deslocou Rodrigo Calaça para deixar tudo igual. Aos 19, veio a virada. Em saída de bola errada do Cancão, Sander interceptou no campo de ataque, entrou na área e acertou a trave. No rebote, Mikael só completou para virar.

Equilíbrio

Com a vitória parcial, o Leão diminuiu mais o ritmo e buscou administrar. A Juazeirense, por sua vez, tentou ir para cima, porém, esbarrou na marcação do Sport e no mau estado do gramado, que prendeu a bola. Assim, o jogo ficou travado, muito concentrado no meio. E a única jogada de perigo que houve ocorreu já aos 41, em chute de fora da área de Gustavo que passou perto.

Segundo tempo com novo erro do Sport e gol do Cancão

Assim como na etapa inicial, a Juazeirense começou em cima. E o Sport também iniciou displicente. Melhor para o Cancão, que empatou o jogo logo aos dois minutos com Clebson, que aproveitou cochilo da defesa, especialmente de Pedrão com mau tempo de bola, e subiu livre de cabeça para marcar.

Sport perde chances

A partir daí o jogo apresentou-se equilibrado, sem grandes chances. Mas o Sport, sempre que forçou, conseguiu chegar algum perigo – e acumulou desperdícios. Primeiro, Ewerthon recebeu grande lançamento de Gustavo e entrou cara a cara com Calaça, mas bateu mal e perdeu a primeira delas, aos 11 minutos.

Em seguida, Patric deu ótimo cruzamento para Marcão, que subiu livre para cabecear, mas parou em Calaça. O Sport tinha espaço no terço final, mas faltou capricho. O que não faltou para o Juazeirense.

Juazeirense marca de novo pelo alto

Aguerrido, o Cancão foi para cima, já que só a vitória interessava. E foi premiado, novamente pelo alto, aproveitando outro deslize da defesa leonina, péssima no jogo aéreo. Aos 21 minutos, após novo cruzamento, Dedé subiu mais alto que todo mundo e cabeceou para fazer 3 a 2.

Leão tenta no fim, mas jogo é interrompido

A partir daí, o Sport se mandou para o ataque, com mudanças (todos pratas da casa) e mais na pressão do que na organização, buscou chuveirinhos, mas não vinha conseguindo furar o bloqueio, até a interrupção da partida.

Ficha

Juazeirense 3

Rodrigo Calaça; Carlinhos, Dedé, Jemerson, Daniel; Waguinho, Patrik (Sapé), Clebson (Anthony); Danilo Bala (Nino Guerreiro), Kesley e Beleu (Elicarlos). Técnico: Givanildo Sales

Sport 2

Luan Polli; Patric, Adryelson, Pedrão (Matheusinho), Thyere, Sander; Marcão, Ronaldo, Gustavo e Ewerthon; Mikael. Técnico: Jair Ventura

Gols: Dedé, Clebson e Kesley (JUA); Ronaldo e Mikael (SPO)
Cartões amarelos: Rafael Thyere e Mikael (SPO)

Continue lendo
2 Comentários

2 Comments

  1. José Ventura

    11 de março de 2021 a 00:07

    Com este técnico não tem jeito de ver o time jogando pra vencer.
    3zagueiro,2volantes,2laterais que não tem sai da de bola,é só chutao pra frente.Escala os meninos da base fora da posição deles.
    TAMOS LASCADOS ATE QUANDO …

  2. Flávio Paris

    11 de março de 2021 a 00:10

    Só quero ver o que o árbitro vai relatar na sumula do jogo. Isso é uma vergonha pra qualquer clube não só para o minúsculo juazeirense e sim para o futebol do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending