conecte-se conosco
CSA x Vasco CSA x Vasco

ALCSASérie BÚltimas

Com gol relâmpago, CSA bate o Vasco e deixa a zona de rebaixamento da Série B

Foto: Daniel Ramalho/Vasco

Publicados

em

Um jogo de sonho. Na estreia do técnico Roberto Fernandes, o CSA contou com um gol relâmpago para bater o Vasco no Rei Pelé. O Azulão ainda aproveitou mais um vacilo do Cruzmaltino para ampliar o placar e dar números finais ao resultado.

Como fica?

Com o resultado, o CSA deixa a zona de rebaixamento da Série B. Com 26 pontos em 25 jogos, o Azulão ultrapassou o Operário-PR, colocando o Fantasma entre os quatro últimos.

Próximos jogos

O CSA terá um longo intervalo para se preparar para se próximo compromisso pela Série B. O Azulão volta a campo no dia 27 de agosto, em confronto direto, contra o Operário-PR, às 19h.

O jogo – CSA x Vasco

1º Tempo – CSA abre placar com gol relâmpago

Não havia maneira melhor de começar o jogo para o CSA do que o acontecido diante do Vasco no Rei Pelé. Com menos de dois minutos de partida, o Azulão já estava em vantagem. Igor bateu escanteio pela direita, Lucão subiu mais que a defesa do Vasco e testou firme para vencer o goleiro Thiago Rodrigues.

Em desvantagem tão cedo, o Vasco sentiu o gol. Assim, apresentou muitas brechas na marcação e pouco produzir ofensivamente para incomodar a defesa dos alagoanos. Assim, sem reação, se tornou presa fácil para o CSA, que seguia pressionando.

Aos 24, o Marujo chegou ao segundo gol. Após lançamento em profundidade, Danilo Boza falha e a bola se apresenta para o atacante Lucas Barcelos, que saiu cara a cara para bater na saída do arqueiro Thiago Rodrigues e ampliar o placar.

Mesmo com 2 a 0 no placar, o CSA ainda criou ao menos outras três boas chances devido ao seu grande domínio no primeiro tempo de partida. O Vasco, por sua vez, seguia sem capacidade de reagir.

2º Tempo – Com Vasco inerte, Azulão administra o resultado

O script da etapa final começou muito parecido com o que se viu nos primeiros 45 minutos. Tanto que, logo no início, o CSA criou uma boa chance em contragolpe, com Lucas Barcelos, mas dessa vez, o atacante finalizou para fora.

Cinco minutos depois, o Marujo chegou novamente com perigo. Diego Renan avançou pela esquerda e cruzou para a área. A bola encontrou Yann Rolim, livre, que bateu em cima do arqueiro cruzmaltino.

A partir dos 15 minutos, com as entradas de Bruno Tubarão e Eguinaldo, o Vasco começou a se atiçar para o campo de ataque. Assim, os cariocas, em uma sequência de escanteios, esboçaram uma pressão, mas sem gerar perigo efetivo à meta defendida por Marcelo Carné.

Na segunda metade da etapa final, o jogo caiu de ritmo. Enquanto os alagoanos adotaram uma postura mais precavida, o Vasco seguia com dificuldades para trocar passes e alcançar o campo de ataque azulino.

Dessa forma, coube ao Azulão do Mutange apenas administrar o resultado, que lhe tirou da zona de rebaixamento da Série B na estreia do técnico Roberto Fernandes à beira do campo.

CSA
Foto: Morgana Oliveira/CSA

Ficha do jogo

CSA 2
Marcelo Carné; Igor, Lucão, Werley e Diego Renan; Geovane (Ferreira), Giva Santos, Yann Rolim (Rogério) e Gabriel (Rickson); Lucas Barcelos (Osvaldo) e Elton (Rodrigo Rodrigues). Técnico: Roberto Fernandes.

Vasco 0
Thiago Rodrigues; Matheus Ribeiro, Danilo Boza, Anderson Conceição e Edimar (Paulo Victor); Yuri Lara, Andrey e Nenê (Palacios); Figueiredo (Bruno Tubarão), Alex Teixeira (Fábio Gomes) e Raniel (Eguinaldo). Técnico: Emílio Faro.

Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL)
Árbitro: Paulo Cesar Zanovelli (MG)
Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira e Ricardo Junio de Souza (ambos de MG)
VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Gols: Lucão aos 2, Lucas Barcelos aos 24/1ºT (CSA)
Cartões amarelos: Elton, Geovane, Rickson (CSA); Danilo Boza (Vasco)

Trending

Copyright © 2020 NE45. Todos os direitos reservados