conecte-se conosco

NáuticoPESérie BÚltimas

Kieza decide, Náutico derrota Guarani nos Aflitos e reage na Série B

Publicados

em

Foi uma sequência de oito jogos sem vitória. Até hoje. Pode comemorar, torcedor alvirrubro: o Náutico voltou a vencer na Série B. Na noite desta terça-feira, o Timbu manteve o nível de competitividade apresentada contra o Juventude e bateu o Guarani por 2 a 0 nos Aflitos, pela 25ª rodada da competição. O primeiro triunfo sob o comando do técnico Hélio dos Anjos.

Com gols de Bryan e um golaço de Kieza – este, o grande protagonista do jogo – o Alvirrubro respira, ainda que minimamente, na tabela. Continua na zona de rebaixamento, na 17º posição, agora com 24 pontos somados, mas diminuiu a diferença – momentânea – para quatro em relação ao Cruzeiro, primeiro time fora do Z4. 

As contas

A Raposa, no entanto, completa a rodada nesta quarta, diante do América-MG, no Independência, e um tropeço será valiosíssimo para o Timbu, que também torce por outro no jogo entre Paraná e Vitória, em confronto direto contra o rebaixamento.

Depois de tirar um peso imenso nas costas, o Náutico volta a campo para dar continuidade à sequência de confrontos diante de adversários na parte de baixo da tabela. No domingo (06), visita o Figueirense, 18º, no Orlando Scarpelli.

Estatísticas

Posse de bola: Náutico  43%  x 57% Guarani 

Finalizações: Náutico 11 x 13 Guarani 

Finalizações no gol: Náutico 2 x 2 Guarani

Escanteios: Náutico 2 x 8 Guarani

Passes: Náutico 314 x 377 Guarani

Passes certos: Náutico  233 x 313 Guarani

Desarmes:  Náutico 16 x 7 Guarani

Manteve o ímpeto

Com três finalizações a gol em menos de três minutos, o Náutico deu o tom do que seria o primeiro tempo contra o Guarani: manter a pegada da partida diante do Juventude. Pressionado por resultados, o Timbu partiu para cima do Bugre e demonstrou muita força ofensiva nos primeiros 45 minutos – ora apertando a saída de bola (com êxito), ora retomando a posse e construindo jogadas de perigo. 


Em uma dessas, Bryan aproveitou o pivô feito por Kieza, se livrou da marcação e abriu o placar nos Aflitos – três minutos depois de um lance polêmico de pênalti não marcado para o Guarani. Mesmo tendo diminuído de ímpeto após o gol, o time paulista só deu seu primeiro chute aos 28. Tentou esboçar reação nos minutos finais, mas sem êxito.

Brilhou a estrela do matador

O Náutico, porém, não voltou com a mesma postura ofensiva no segundo tempo.  Encurralado, o Timbu sequer conseguia trocar passes no meio de campo, enquanto o Guarani passou a rondar – e com perigo – o gol de Anderson. Mas, neste momento, brilhou a estrela do artilheiro. 

Kieza, que já havia dado assistência para Bryan abrir o placar, puxou contra-ataque em velocidade quase dentro da própria área, atravessou o campo, driblou o goleiro Gabriel, o zagueiro Cristóvam e finalizou com categoria para ampliar. Seu sexto gol com a camisa do Náutico. O artilheiro do time na Série B.

Tabu quebrado; tabu mantido

A vitória por 2 a 0 sobre o Guarani também pôs fim e manteve tabus. De um lado, depois de 80 dias, o Náutico voltou a vencer nos Aflitos – algo que só tinha acontecido diante do Botafogo-SP, ainda em 12 de setembro. Por outro, desde 1989, o Bugre não vence o Timbu em Pernambuco. De lá para cá, foram seis jogos e seis triunfos do Timbu.

O timbu acabou com dois tabus, um na campanha geral e outro como mandante. E o lá e lô no bugre reduziu a distância para o 16º colocado

Trending