conecte-se conosco

PESanta CruzSérie CÚltimas

Santa Cruz sofre com chuva e muralha do Vila Nova, perde e se complica na Série C

Sob forte chuva, Santa Cruz não conseguiu evitar mais uma derrota no quadrangular. (Foto: Rafael Melo/Santa Cruz)

Publicados

em

Complicou a vida para o Santa Cruz. O Tricolor acabou derrotado pelo Vila Nova, num jogo em que não conseguiu superar uma série de obstáculos, que foram da chuva forte à muralha de zagueiros da equipe goiana. Revés que deixou o time em uma condição adversa de lanterna do Grupo C, e agora vai precisar vencer o Brusque a qualquer custo na última rodada e contar com uma combinação dos dois jogos que restam a cumprir para não amargar o quarto ano seguido na Série C.

A volta de Lourenço

Nas duas equipes, mudanças fundamentais nas escalações. Sem o goleiro Fabrício, com covid-19, e o lateral esquerdo titular, Mário Henrique, o Vila Nova foi a campo com o reserva Marcão na meta e o zagueiro Adalberto improvisado, mas que agia também como terceiro zagueiro nas jogadas aéreas. Por sua vez, além da entrada de André no lugar de Bileu, suspenso, Martelotte optou por Lourenço no lugar de Victor Rangel, para explorar com velocidade a recomposição da zaga goiana.

Chuva forte

Mas a intenção do treinador coral logo caiu por terra, uma vez que as fortes chuvas que castigaram o estádio Onésio Brasileiro Alvarenga deixaram o gramado pesado e retendo a bola nas poças d’água que se formaram. Acostumado a essas condições, o Vila não demorou a se sobressair e partir para o ataque nos chutes de longa distância.

Bombardeio do Vila Nova

Já no primeiro minuto Adalberto teve a primeira bola do jogo, num chute em diagonal que Maycon salvou no ângulo. Sem Bileu, a cobertura do combate à frente da zaga ficou nula e Alan Mineiro, com liberdade para chutar, acertou o ângulo de Maycon aos 9′, sem chances para o goleiro defender.

O Santa só conseguiu colocar a bola no chão para desenvolver as jogadas a partir dos 15 minutos, mas ainda assim sem a menor aproximação da grande área do Vila. Por sua vez, os donos da casa seguiam com as investidas e os chutes, tendo Dudu duas boas chances aos 19′ e 20′, mas ambas para fora.

Muralha vermelha

Sem conseguir trocar passes e conduzir a bola com seus jogadores velozes, sobrava ao Santa Cruz a bola aérea. O recurso, porém, era uma armadilha que o Vila facilmente se livrava, uma vez que os atacantes corais tinham que superar uma muralha vermelha dos três zagueiros Rafael Donato, Saimon e Adalberto, com 1,93m, 1,83m e 1,85m, respectivamente.

Ainda assim, aos 42′ minutos, Chiquinho cobrou falta e Danny Morais se atirou no lance. O goleiro Marcão se atrapalhou e a bola entrou, mas o zagueiro coral estava impedido, interferindo diretamente na jogada mesmo sem por ventura ter desviado a bola. O primeiro tempo terminou sem o Santa Cruz sequer ter uma finalização válida na etapa.

Santa Cruz volta melhor

Sem poder voltar aos vestiários graças ao alagamento do túnel do Estádio OBA, Martelotte teve que dar as instruções no banco de reservas e os tricolores reclamaram do uso dos caixas de som. Na escolha do treinador, Victor Rangel voltou no segundo tempo n lugar de Lourenço. A mudança fez o Santa melhorar e trabalhar melhor a bola. Chiquinho, de falta, quase empatou na cobrança que acertou o travessão aos 7′.

O Santa continuou se aproximando mais da área adversária e aos 13′ teve mais uma oportunidade de empatar. Victor Rangel conduziu e bateu de fora da área, a bola desviou na defesa e parou na poça d’água. Didira ficou com a sobra, mas não conseguiu encobrir a saída de Marcão do gol. Toty cruzou aos 22′ e Caio Mancha não alcançou, mas Marcão espalmou.

Vila mata o jogo

As mudanças feitos pelo técnico Mário Fernandes renovaram os ânimos do Vila Nova, que começou a responder à pressão coral. Alan Mineiro teve a primeira chance aos 25′, depois de driblar André e bater no centro do gol. Maycon defendeu. Mas aos 34′ Pedro Bambu ficou com a sobra de uma cobrança rasteira e acertou o ângulo de Maycon, que de novo não teve o que fazer no lance.

Gol ameniza o saldo

O Santa seguiu pressionando, mas sem furar a defesa goiana. Só quando esteve perto do fim aos 49′, Victor Rangel arriscou de longe, Marcão não segurou e a bola acertou a trave. Chiquinho ficou com a sobra e diminuiu o placar. Não teve tempo para mais nada pois o árbitro encerrou em seguida, porém o gol pode fazer a diferença na hora de decidir o acesso nos critérios, a depender da combinação final.

Agora em 4º lugar, o dano é enorme para o Santa Cruz, mas só será mensurado com exatidão após Brusque x Ituano, na segunda-feira. De antemão, precisará vencer, e já sem garantia de vaga

Combinações para subir

Com a derrota, a única certeza para o Santa Cruz é a necessidade da vitória sobre o Brusque no próximo domingo, às 18h no Arruda. Porém, a depender dos três possíveis resultados de Brusque x Ituano na próxima segunda-feira, às 20h.

  • Se o Brusque vencer: Torcer por empate de Ituano e Vila na última rodada e decidir nos critérios contra o Vila Nova, ou torcer por vitória do Vila e decidir nos critérios com o Ituano – que o Santa tem um confronto direto melhor.
  • Se o Ituano vencer: Torcer por empate de Ituano e Vila na última rodada e decidir nos critérios contra o Vila Nova, ou torcer por vitória do Ituano.
  • Empate: Depende apenas da sua própria vitória.
Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending