conecte-se conosco

NáuticoPEPernambucanoSérie BÚltimas

Buscando retomar sequência, zagueiro Wellington promete raça em temporada pelo Náutico

Foto: Tiago Caldas/CNC

Publicados

em

Contratado para a temporada 2022, o zagueiro Wellington é visto como o parceiro ideal para Camutanga no atual elenco do Náutico. Em sua apresentação oficial como atleta do Timbu, o defensor, que chegou após não ter sequência no CSA, agradeceu à diretoria alvirrubra pela confiança no seu trabalho e prometeu que não irá faltar raça com a camisa do clube nas quatro competições do ano.

“Minha maior motivação de estar aqui é porque o Náutico acreditou no meu trabalho. Não exitei em aceitar o convite e estou aqui para ajudar no que for. Sei que os campeonatos serão difíceis, que será um ano difícil. O CSA será nosso adversário recorrentemente ao longo do ano, mas agora é vida nova. A partir de agora eu sou Náutico e sei que a melhor coisa que eu fiz foi ter acertado com o Timbu”, explicou.

“A torcida alvirrubra pode sempre esperar de mim muita raça. Essa é a minha principal característica. A Série B pede isso. A Copa do Nordeste, a Copa do Brasil e o Pernambucano também pedem, então não tem como fugir muito disso. Aos poucos, no jogo a jogo, vamos mostrando nossa característica individual como jogador, mas uma coisa que não pode faltar é raça”, salientou Wellington.

Aos 30 anos, o defensor chega ao Náutico após viver momentos bem distintos nas últimas duas temporadas. Peça importante do acesso à Série A do Juventude, em 2020, o zagueiro não teve muito espaço no elenco do CSA, clube onde esteve no ano passado. Por isso, após entrar em campo apenas sete vezes em 2021, Wellington colocou que chega ao Timbu para competir em busca de uma maior sequência de jogos.

” Quando a gente chega em um clube, nossa pretensão é sempre jogar. É claro que sempre respeitando a todos os atletas da posição e aos componentes da comissão técnica também. Eu cheguei no CSA e não obtive esse sucesso, que eu tive no Juventude em 2020. Porém, não deixei de treinar. Sempre fiz o meu máximo. Foi por opção do treinador. Eu vim para cá para dar o meu máximo e competir com os meus companheiros de posição. O que o professor (Hélio dos Anjos) decidir está decidido. Se ele achar que eu tenho de jogar, eu vou ajudar. Mas se ele achar que eu tenho de ficar de fora, vou tentar contribuir da mesma forma”, pontuou o zagueiro alvirrubro.

Confira outros pontos da coletiva de apresentação:

Características

Sou um zagueiro construtor, daqueles que os clubes estão exigindo bastante. Tenho bom jogo aéreo e outras características como leitura de jogo e, como a Série B pede, sou um jogador de muita raça. Acho que essas são as minhas principais características.

Maratona de jogos

O professor tem falado com a gente que vai ser um ano bem complicado, com muitos jogos em sequência e, por isso, temos que estar sempre nos precavendo no quesito alimentação e cuidados em casa. Quem tem seu aparelho de fisioterapia em casa tem que se ajudar… No começo de temporada é sempre difícil de falar, mas a semana está sendo boa. Estou conseguindo evoluir bem, estou acostumado com o clima e acho que perto das competições terei boa condição de jogo.

Conversas com Hélio dos Anjos

Tive uma breve conversa com o professor, mas foi coisa rápida. Agradeci pelo convite e pela confiança no meu trabalho, mas, consequentemente, como essa semana é mais física, ele não está vindo muito ao campo. Acho que mais para frente, com certeza, vamos bater um papo legal.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending