conecte-se conosco
Vagner Mancini, técnico do Ceará Vagner Mancini, técnico do Ceará

CECearáCopa do NordesteÚltimas

Mancini vê pior jogo do Ceará no ano no empate contra o Altos e elenca problemas apresentados

Foto: Reprodução/Vozão TV

Publicados

em

Treinador do Vozão apontou que atuação da sua equipe deixou muito a desejar e explica o que ele vê como razões para isso

O técnico Vagner Mancini não gostou nada da atuação do Ceará diante do Altos neste domingo (11), no empate em 1 x 1 no Castelão, pela segunda rodada da Copa do Nordeste. Para ele, foi a pior partida do Vozão em 2024.

Um tropeço em casa que não estava nos planos. O comandante alvinegro explicou seu ponto de vista sobre o duelo e o que ele enxergava como razão para essa atuação ruim. Para ele, além da falta de concentração da sua equipe, Mancini crê que o Ceará sentiu um pouco o cansaço após ter jogado na última quinta-feira (8), contra o Caucaia.

“Foi (a pior partida do Ceará no ano). A gente esperava um desempenho melhor. O time acabou não conseguindo desde o começo do jogo, apesar dos primeiros 15 a 20 minutos de posse de bola e imposição boa. O Altos foi melhorando na partida, incomodando, até que fez o gol. A postura do Ceará é algo que eu não gostei. Essa é a verdade”, analisou Mancini.

“Acho que a gente deveria ter uma concentração e toque de bola bem mais rápido, como aconteceu nos últimos 10 minutos de jogo. Não que isso sirva de desculpa, mas acho que o Ceará, por ter jogado quinta-feira, hoje sentiu um pouquinho. Mas ao longo do jogo, as coisas foram se dificultando muito em função do gol do Altos”, acrescentou o técnico do Ceará.

Vagner Mancini, técnico do Ceará
Foto: Reprodução/TV Vozão

Mudanças no meio de campo do Ceará

Vagner Mancini também comentou sobre as alterações que fez para esta partida contra o Altos. Lourenço e Mugni, considerados titulares, não foram utilizados no duelo. Assim, Richardson e Guilherme Castilho assumiram a posição.

Ele revela que as mudanças impactaram na atuação da equipe, mas não por queda de qualidade, e sim pela característica de jogo diferente que os atletas possuem.

“Tivemos que substituir duas peças, embora o Castilho tivesse jogado na quinta-feira. Mas sempre que você monta as peças, você ganha em algumas coisas. Ganhamos na marcação do Richardson, mas perdemos em outros sentidos”, contou Mancini.

“Isso vai sempre acontecer sempre que fizermos alguma alteração. Foi um meio de campo que não tinha jogado junto ainda. Não que isso sirva de desculpa, porque eles estão no dia a dia no treinamento, mas há uma diferença”, encerrou.

Números, estatísticas e mais sobre o futebol nordestino: Confira as últimas do Blog de Cassio Zirpoli

Trending

Copyright © 2020 NE45. Todos os direitos reservados