conecte-se conosco
Lucas Silva, novo atacante do Santa Cruz Lucas Silva, novo atacante do Santa Cruz

PESanta CruzSérie DÚltimas

Santa: reforço, Lucas Silva celebra acerto e mostra confiança em melhora do momento

Henrique Barros/SCFC

Publicados

em

O Santa Cruz tem um novo atacante no seu elenco. Oficializado na noite da segunda-feira, Lucas Silva falou pela 1ª vez como jogador coral nesta terça. Feliz com a oportunidade de defender um clube como o Tricolor, Lucas mostrou otimismo sobre o momento coral.

Luan Silva no Santa Cruz

Lucas Silva atua como ponta e tem 28 anos. O jogador chega ao Santa Cruz após a saída do atacante Mateus Anderson, que deixo o clube na última semana. Ele, assim como o lateral Marcos Martins, saíram em apoio à antiga comissão técnica, demitida há nove dias.

Cria do América-MG, ele passou por Tombense, Santa Clara (POR), Palmas, Rio Preto-SP, Barra-SC, Central, América-RN, Santa Helena-GO, Anapolina, Jaraguá-GO, Água Santa, Vila Nova, Mirassol e Figueirense.

Em 2022, ele jogou a 2ª divisão do Paulistão pelo XV de Piracicaba. Por lá, ele atuou ao lado do zagueiro Luan Bueno e do volante Daniel Pereira. Foram nove jogos, um como titular, sem gols marcados. Mas esses não são os únicos ex-companheiros de Luan no elenco coral.

“Já conheço alguns atletas. Recentemente trabalhei com o Mateuzinho e o (Raphael) Macena no Mirassol, já joguei com o Gilberto também. Estou me sentindo muito em casa, pelos companheiros com quem já trabalhei”.

O jogador também falou sobre as suas características em campo. “Sou um jogador de velocidade. Gosto de jogar pelos lados do campo e procuro entrar bastante na área para poder definir as jogadas”.

A expectativa no clube

Feliz em chegar ao Arruda, Lucas Silva elogiou o clube e mostrou confiança na escolha pelo Santa Cruz. “O Santa é um clube muito grande. Todo jogador que recebe uma proposta do Santa Cruz, é impossível recusar. Pela grandeza, pelo que o clube proporciona ao jogador”.

Ele continou. “Fiz a escolha certa nesse momento. A gente sabe de tudo que tem acontecido, mas tem a confiança e a certeza de que as coisas vão mudar”. Ele também comentou sobre o que o clube precisa para reverter o mal momento.

“Eu creio que para sair de uma fase complicada, é etapa. A gente tem que colocar algumas metas dentro do nosso elenco, do grupo. Eu creio que, com muito empenho, trabalho, eu estou chegando agora, mas já alguns atletas, então eu creio que no final vai dar tudo certo. Esses resultados vão chegar e a gente vai conseguir nosso objetivo”.

Leia mais da entrevista de Luan Silva

O trabalho na 1ª semana no Santa

“É uma semana cheia, semana de conhecimento. Uma semana que a gente vai ajustar o que tem que ser ajustado. Mas eu creio que nessa semana eu já vou estar bem à vontade para poder ajudar o Santa Cruz”.

“Eu já joguei já joguei a Série D algumas vezes. É uma competição diferente das demais. Uma competição que, se você fizer duas vitórias, você vai lá para cima. Então, eu creio que a gente tem que ir em busca dessa 1ª vitória para conseguir conquistar a 2ª”.

“Eu fiquei muito surpreso quando eu cheguei aqui, em relação a torcida. Até pelo ambiente, não achava que a torcida estaria tão presente como esteve no último jogo em casa”.

“Eu creio que a gente, como atleta, tem que buscar essa vitória para trazer o torcedor para o nosso lado. Para, a cada jogo, o Arruda ficar mais lotado. Eu creio que essa iniciativa vai ajudar a gente e nessa semana a gente vai conseguir encaixar o que não estava encaixando para vencer os jogos”.

Já jogou no Arruda?

“Joguei uma vez, pelo Central. O jogo foi 1×1, acabei até fazendo gol. De longe, a gente vê a importância da torcida, o quanto ela apoia o Santa Cruz. Então, torcer para a gente pegar uma boa fase aqui a partir de agora”.

Como reverter o momento?

“Quando a gente está em uma fase que não é tão favorável, a gente tem que ir uma vez na cara do gol e fazer o gol. A gente, que é atacante, não costuma ter tanta chance de fazer gol. Quando a gente tem uma ou duas chances, a gente tem que aproveitar para ganhar essa confiança dentro do jogo”.

“Se a gente melhorar um pouquinho. A gente tem criado, buscado, mas infelizmente a bola não está entrando. É pedir concentração, foco, a partir desse momento para a gente poder fazer os gols e sair com o resultado positivo”.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Trending